Piores vídeos de namoro

Bodas de Namoro – Quais São e Como Comemorar! ... Por que Alice no País das Maravilhas é um dos piores…. Ver tudo Famosos — Destaque. Tom Cruise é muito baixinho? Dossiers ao minuto. ... O mundo das celebridades com fotos, vídeos e noticias de atores, atrizes e famosos. Sim quero! Sinto-me a pessoa mais sortuda e cheia de amor. Uma das piores escolhas. ... Peguei no tel do meu namorado um grupo de vídeos pornô, fiquei chateada pq na minha cabeça é como se ele sentisse tesão em outra. ... Meninas, vou resumir brevemente meu problema, namoro a mais de 2 anos, meu namorado não pensa no amanhã, ele ganha mais de 2 mil por mês, por ser cidade [...] 8 respostas ... Aqui está mais uma forma sorrateira de terminar um namoro. Pode ser muito confortável pedir para uma amiga de vocês contar à sua namorada que você não quer mais vê-la. Mas imagine o que ela vai pensar de você depois disso e o que ela vai contar para outras pessoas sobre você. Boas coisas não serão. tÉrmino de namoro parafernalha We cannot load the video because your browser does not support JavaScript. Enable JavaScript support in your browser and reload this page. Namorar alguém em 2020, é muito diferente de namorar alguém em 2010. Contudo, não é apenas a natureza abstrata do namoro que mudou, são os detalhes, as pequenas coisas. Além de, é claro, das tendências que vêm e vão embora. Por isso, separamos as 7 piores tendências de namoro da década passada. 11/nov/2018 - Explore a pasta 'piores piadas' de Valenttina Paiva no Pinterest. Veja mais ideias sobre Piadas, Piores piadas, Memes engraçados. Direção de Conteúdo: Rafael Castro Roteiro: Rafa Castro Head de Direção: Rodrigo Galha Diretor: Camille Frambach Assistente de Direção: Leonan Pacífico Fotografia: Alexander Caio Diretora de Produção: Alessandra Bezerra Produção: Gabrielle Misael e Natã Lamego Analista de Planejamento Audiovisual: Vitor Hugo Faria Arte: Clara Garritano 20 histórias de traição que vão fazer você dar graças a deus por estar solteiro(a) 'Eu não era só mais uma garota: havia quatro de nós.' by Luis Del Valle Procurar mais vídeos. Reproduzindo a seguir. 3:30. PIORES FORMAS DE PEDIR EM NAMORO PARAFERNALHA. Parafernalha. 10:41. 1 ano de namoro e dia dos namorados - Kelly e Léo. Best News. 2:31. Pr. Cláudio Duarte Mensagem para Solteiros (Namorados e Noivos): Não Acenda o que Você NÃO Pode Apagar ! - Namoro ou Corte?

Razão ???

2020.09.18 19:01 HappyPressure8291 Razão ???

Então, recentemente eu e meu namorado temos desgastado bastante a relação com discussões relacionadas a insegurança, paranoia e etc. E penso que por agir muito pelo emocional, eu acabo sendo a mais imatura da discussão, não é fácil lidar com isso, pois essa imaturidade atinge muito mais a minha pessoa, visto que ele super compreende eu estar sendo emotiva e achar que não aconteceu nada de mais. Um exemplo bem prático disso é o fato de ontem termos discutido e ele foi dormir tranquilo e falando que me ama mesmo eu super brava e pedindo pra ele tirar a foto de perfil e aceitar que vamos terminar por que não tem muito o que se fazer, enquanto que fiquei a madrugada toda pensando em muita coisa e fazendo testes de insegurança, de saber se o parceiro é traíra. Bom depois de tudo que eu disse acima, já devem imaginar quem é o mais inseguro da relação, ah também sou a paranoica(óbvio) e sou para a surpresa de quase ninguém. Muito ciumenta, e foi por esse motivo em especifico que brigamos, eu não consigo ver esperanças na minha evolução, e sinceramente, o que era um ciúme normal é que tá evoluindo pra outras coisas piores(possessão e etc. ), talvez por que tenho andado mais emotiva que antes nessa pandemia(no qual muita coisa ruim tem acontecido na minha casa) não sei... Mas fiz essa postagem por que estou muito indecisa racionalmente sobre uma questão. Uma amiga nova chegou na área, que na verdade já era colega a algum tempo, mas só agora que essa amiga terminou o namoro eles conversam com certa frequência e bastante intensidade(fotos, memes, vídeos, fofoca, conversa sobre a vida), incluindo muito esforço da parte dela para manter a amizade com ele. Engraçado é que acabei me envolvendo com ela também, ela é uma ótima pessoa, mas mesmo assim me sinto muito insegura, sei que ela tem outras pessoas na vida dela, mas não entendo a insistência em ser nossa amiga, pois nem parece que ela gosta mesmo de mim, e o meu emocional com certeza afirma que ficaria muito feliz com o termino da amizade entre eles. Mas racionalmente sei que isso é muito abusivo, eu controlar algo que eu nem deveria. Mas para frisar minha insegurança, tenho que dizer que me assusta muito quando ela diz coisas como ''eu me apoio na amizade com um cara e acabo gostando dele, sempre fiz assim, supri minha carência com outros caras'' isso é ameaçador pra mim sabe?... Eu só consigo imaginar nela vendo o quanto meu namorado é um cara bacana e acabar gostando dele e tende real motivo para não gostar de mim e só me manter por perto por falsidade sabe?. O que aconteceu com ela no termino do namoro não desejo a ninguém, ela ainda tá muito confusa, e eu queria que ela não se sentisse assim e de certa forma culpada, então no começo até apoiei bastante a amizade dos dois, falava pra ele perguntar se ela tá bem, tentar distrair ela... me arrependo disso, eu não devia ter responsabilizado ele por algo que eu mesma poderia ter feito por ela. Mas eu queria que ela se sentisse acolhida por nos 2, e acho que é assim que ela se sente agora, mas não posso negar que ainda vejo como ameaça, não sei, talvez ela tenha mudado o suficiente para não ficar mais querendo depender emocionalmente de alguém assim... mas vai saber? isso nem é algo tão ruim quando esse alguém tá disposto a te ajudar de verdade a se sentir segura e tals. Foda é que eu não consigo estudar, pensando que vou passar muito tempo fora e que ele vai tá tão envolvido com ela, por que coincidentemente ele tava no seu intervalo de estudos, e acabou compartilhando opiniões parecidas com ela e etc... sla... muita paranoia pra descrever aqui, mas eu realmente não sinto que estou pronta pra aceitar essa amizade. Ele e ela, que eu conheço bem, combinam mais do que eu e ela ou eu e ele(ele é mais amigo dela). No jeitinho de ser, de acreditar nas pessoas, pensar o melhor delas kk. Eu não sou assim vey... já sofri demais com as pessoas pra isso, inclusive da parte desse namorado, coisas parcialmente superadas, mas que a gente ignora, e que, desde que não aconteça de novo, da pra manter a relação. Resumindo, essa gama de defeitinhos meus, me fazem ter certeza de que eu só tenho algumas poucas soluções racionais pra isso tudo, vou listar 3: 1- Continuar próximo dos dois(por que longe eu já não consigo aceitar gst dos 2, n qro parecer um monstro, só sou humana sabe: imperfeita, cheia de problema, depressiva, ansiosa, to carente e etc kkk) e me esforçar(mesmo que doa muito) pra acreditar(mesmo que seja difícil demais) que eles só serão amigos mesmo; 2- terminar o namoro e desejar muita felicidade pra ambos que foram meio que motivo do termino, juntos ou não e 3- fazer que ele se distancie dela por tempo indeterminado, mas se possível bem breve(gosto que ele tenha amigos, isso faz ele feliz), até que eu pense melhor sobre tudo, sem que eu precise me distanciar dele que é a pessoa que eu mais amo, alias a distância entre ela e eu nem é uma opção, mas pode ser sim consequência, só que de fato eu até gosto de compreender o significado que ela tem na vida das pessoas ao redor dela e vejo isso conversando com ela, o que é bom, já que meu namorado é um pouco sonso ao me dizer o que ele acha que ela significa pra ele, ele diz: ''não sinto nada'' mas até eu não consigo dizer isso aí. Sinto compaixão por ela, carisma da parte dela, simpatia e etc. Mas vale lembrar que tenho um pouquinho de medo, por que acho ela muito melhor que eu, só por ter essa essência e ela auto afirmar as vezes que consegue conquistar qualquer um com boa conversa, é mais ameaçador ainda, e pode ser bobo mas por mais que no começo eu achava fofo agora comentar ''que casal fofo'' e coisas similares a ''meu casal''(Vitão 2018), me causa pavor, kkkk brincadeirinha kkk. Raiva tenho também, mas só dele mesmo, por ser sonso a ponto de dizer também ''que tal nos usar essa metadinha de 3 com ela?''. AFF do nada, num momento nosso qnd estamos vendo fotos juntos e umas metadinhas DE CASAL pra usarmos. Na verdade, se eu não fosse tão insegura até que seria uma boa ideia, mas qualé, ele sabe como sou... acho que me desrespeitou nesse sentido, de ver que eu tava me esforçando pra não falar dela, pq sempre acabo desgastando muito a relação cm muita paranoia, e ele ir e falar dela, me deixa pensativa e séria de novo, pra compensar ele concordou com essa terceira opção minha ''3 fazer que ele se distancie dela por tempo indeterminado, mas se possível bem breve''. Que sinceramente seria a que mais me deixaria feliz, e aí gente, acham que se eu repensar, consigo equilibrar melhor a razão e a emoção? e talvez ache uma opção mais sensata do que essa última. Acham que estou sendo ciumenta em excesso? e que eu devo me responsabilizar sozinha(msm ele sendo um fator pra minha insegurança) por isso, não terminando mas dando um jeito. ME AJUDEM! EU QUERO SER UMA BOA PESSOA, sem isso eu não me sinto mais nada nesse mundo e posso querer acabar com tudo logo(eu sei que preciso de terapia), por que só vejo sentido naquilo que tem sentimento e minha vida se resume muito a ser boa pra ele, alguns amigos e pro meu doguinho que ele prometeu cuidar caso algo aconteça comigo. :) ''Por que não vou ao psicólogo? bom, não tenho grana, simples. Desde já agradeço a pessoa que ler esse texto enorme, tentei ser bem objetiva e clara sobre tudo, espero que tenham compreendido.
submitted by HappyPressure8291 to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 14:29 brigaxxx ME AJUDA, NÃO CONFIO NA MINHA NAMORADA

Bom, vamos aos fatos. A HISTORIA É GRANDE DESCULPA!
Tudo começou quando minha ficante (que ja morava em outra cidade, porem não tão longe) se mudou para uma cidade a mais de 10 horas de distancia, um tempo depois que conseguimos se visitar começamos a namorar. Ela saia muito com as amigas do trabalho e havia feito um amigo que eu ja não gostava muito, um dia eu fui para uma festa nessa cidade com ela, com esse amigo (que eu sentia maldade nele) e outro conhecido dela, esse outro ficava me olhando diferente e falando umas coisas para sacanear e eu como não abaixo a cabeça tirava com ele também (essa parte da historia vocês vão entender no final).Quando acabou o contrato de trabalho dela, ela voltou para a cidade onde começaria a fazer o mestrado, la era onde ela tinha boa parte de amigas e amigos. No dia em que ela chegou na cidade ela fez um vídeo pro insta dando um shot e dizendo que estava com saudade da cidade, nisso no whats ela me mandou uma foto dela para dizer que estava tudo certo e tals, eu a elogiei bastante e ate esse momento do nosso relacionamento eu não tinha paranoia nenhuma. Quando chegou o final de semana para nos se vermos eu comecei a fuçar o celular dela pois sabia que ela conversava com um guri que ela ja conhecia a 6 anos e ja havia ficado com ele algumas vezes e eles as vezes estava na cidade. Foi quando eu vi a mesma foto que ela mandou para mim no dia do shot, ela mandou para ele! nisso embaixo estava escrito que ela queria que ele estivesse em lages. em uma briga futura comecei a jogar na cara dela essa intimidade deles que eu não gostava e tal... e alguns meses depois quando fui olhar a conversa deles estava apagada, porem eu sabia que eles haviam conversado... eu cobrei ela e ela sempre falando pra eu não me preocupar... Um dia estávamos na praia e eu estava usando o celular dela para usar a câmera, quando veio uma mensagem de um cara (q eu n conhecia) com apenas escrito na mensagem ''vou quarta-feira'', porem o resto da conversa não existia, foi uma mensagem aleatória, porem bem estranha, na hora ela estava deitada e eu fiquei muito puto achando que ela estava combinando com o cara, cobrei ela ela chorou e jurou pela família que não falava a anos com esse cara porem já havia ficado com ele no passado (q era outro amigo dela). Quase terminamos eu estava muito mal e minha paranoia só ia aumentando, então botei ela na parede e comecei a vasculhar tudo no whats, foi quando eu vi que uma vez, na primeira cidade do trabalho ela havia saído com esse amigo que eu sentia maldade sem me falar porem nesse dia ela falou q ia com uma amiga e não com ele, ela falou que ele chamou ela e como ela já ia chamou ele mas nem me avisou isso foi estranho eu já estava mais mal ainda, brigas aumentando eu paranoico ate que terminamos e voltamos a um tempo agora. Porem ela não fala mais com aquele amigo da foto, esses outros estão todos bloqueados e tal pois eu meio que larguei pra ela q preferia isso e foi feito. ela continua dizendo q nunca me traiu e o pior q eu não tenho prova, so situações estranhas sabe? A ultima coisa que achei foi o cara que era amigo do da cidade de longe que estava no carro sabe? ele dando moral pra ela e ela também dando moral porem nessa época não namorávamos e quase certeza q pela conversa rolou algo, mas ela diz q nunca ficou com ninguém depois que começamos a ficar. Atualmente estou tentando esquecer td porem ta muito difícil parece que só piora e eu só me maltrato pensando e não sabendo oq fazer pois quero confiar sabe? O pior de tudo é que a pessoa que ela é não aparenta ser uma pessoa q trairia. Isso tudo rolou nos nossos 2 anos de namoro, fora alguns detalhes que se eu contar vai ficar muito grande. Preciso da ajuda de vocês, gostaria de saber se devo confiar ou o que devo fazer pois estou sempre cobrando ela de algo e demonstrando um ciume, não posso ver ela no insta q ja fico pensando merda, e querendo cobrar ela ou coisa do tipo... e eu a amo mas ta foda... Eu me senti humilhado ao ir em uma festa que 2 caras ela conversava, um ela deu moral o outro saiu com ele sem eu saber e eu sem saber nada inocente lá...
submitted by brigaxxx to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 14:17 DemonFranco É possível mesmo duas pessoas se relacionarem de forma PURAMENTE sincera?

Até os 18 anos (hoje tenho 22) eu fui extremamente introvertido, com pouquíssimo contato com a realidade do mundo. Desde moleque desenvolvi uma vontade muito forte de ter aquele clássico relacionamento vitalício (não perfeito, mas no mínimo sincero e recíproco) que se vê em filmes de romance ou animes tipo Naruto. Na verdade, lá no fundo, ainda tenho essa vontade. Mas essa vontade foi minha perdição, pois dediquei demais à pessoas que não estavam dispostas a fazer 5% do que eu estava.
A primeira decepção foi com, claro, meu primeiro amor: nunca amei tanto alguém como amei aquela garota. Fiz de tudo pra me aproximar dela, fui até em sua casa pedi-la em namoro, e o pior é que ela aceitou sem me desejar. Passamos 2 anos nos "relacionando" sem um abraço sequer e com conversas vazias, até chegar o dia em que ela decidiu ser sincera (hoje eu vejo que tudo era bem óbvio, mas minha introversão tinha me tornado muito inocente). Logo depois arrumei uma webnamorada, com quem namorei por foto e vídeo até conseguir um emprego aos 19 e conseguir visitá-la: perdi 4 dias de trabalho sem atestado, quase fui demitido e viajei SOZINHO pra São Paulo mesmo sendo que não saía pra jogar bola na rua. Finalmente, então, perdi meu bv e minha virgindade. Apesar de que voltei pra casa feliz e realizado com a nova etapa do relacionamento, a mesma terminou comigo uma semana depois, com desprezo e raiva em suas palavras e até hoje não entendo porquê. Vida que segue, comecei a me socializar mais, ir em festas, conhecer novas pessoas, e na própria empresa em que eu trabalhava conheci uma garota que me admirava por minha espontaneidade. Ela também era muito introvertida, vem de uma família evangélica extremamente violenta e ríspida, então eu senti que poderia "salvá-la" mostrando os prazeres do mundo fora da caixa do preconceito. Sempre deixei claro a ela que gosto de tudo o que o cristianismo lhe ensinou a fugir: bruxaria, cannabis, liberdade de expressão, etc. Logo, desde o início estávamos cientes de que nada seria fácil, mas eu estava disposto a enfrentar tudo aquilo e muito mais, inocentemente acreditando que isso a inspiraria a fazer coisas parecidas por mim. Engoli muitos absurdos retrógrados vindo de sua família e fingi com todas as minhas forças ser alguém que não sou (algo que desprezo e talvez não tenha feito muito bem), resistindo por "Só mais alguns anos, e vamos sair daqui". Bom, acontece que todos os meus estímulos liberais incentivaram ela a descobrir que é lésbica - e por mim tudo bem, de verdade. O problema foi que ela omitiu isso até o último dia, fingindo estar tudo bem e ainda alimentando nossos projetos futuros. No dia do término, eu fui em sua casa porque ela estava estressada, na intenção de melhorar o mínimo que fosse do seu dia. Ela me deixou ir embora pra terminar por mensagem do Facebook de sua mãe; insisti pra ela pelo menos falar o que tinha pra falar me olhando nos olhos, mas ela me tratou como se fosse um qualquer e realmente não queria nunca mais me ver.
Até então essa é minha história amorosa, mas eu também contei demais com amizades e todas (exceto uma) me decepcionaram. Comecei minha vida social com dois de meus primos (um deles é a mencionada exceção), mas o outro simplesmente se afastou de nós sem razão aparente - isso foi frustrante pra mim porque eu gosto muito dele e de seu irmão, mas nunca foi recíproco. Depois disso conheci o cara mais problemático que já passou na minha vida: 100% egomaníaco, repleto de defeitos gritantes que qualquer um com um pouco de amor próprio não investiria sua saúde mental para suportar. Mas eu, trouxa, fui diferente. Aguentei todos os seus absurdos, surtos sem sentido, falso senso de superioridade, ego frágil e invejoso, ciúmes até da minha ex (sim, hoje eu sei que ele gostava de mim mais que como amigo), enquanto via seus outros conhecidos pouco a pouco se afastarem dele. Ele foi o primeiro """""bruxo"""""" (entre muitas aspas porque a prole só sabia o que tinha pesquisado no Google e lido em revistas de banca) que conheci e, como eu valorizo muito conhecimento esotérico e não sabia de nada quando o conheci, confiei em todas as suas palavras e atitudes. E continuaria assim, se ele não tivesse tentado me agarrar enquanto fingia estar incorporando minha deusa-mãe. Na cabeça dele era um pretexto perfeito, já que essa mesma deusa está relacionada ao sexo e eu sou bi. Mas, sério, nunca vi alguém com tanto sex appeal negativo quanto esse cara. Simplesmente parei de conversar com ele, não dei satisfação alguma porque ele sabe muito bem o que aconteceu. Mas seu ego frágil não deixou isso barato: hoje eu passo na rua e todos os amigos que tínhamos em comum nem me cumprimentam mais, e de longe olham torto ou fingem que não me viram. Coincidência? Acho que não. Agora, em tempos de quarentena que está ainda mais difícil conhecer pessoas novas e criar qualquer tipo de relacionamento (como se já não fosse um desafio pra alguém que cresceu introvertido), me sinto sozinho e essa infelizmente é a melhor opção pro momento. Mas eu não quero deixar minha vontade morrer: quero de verdade dividir uma vida com alguém, compartilhar histórias que só nós vivemos, entender o que ela pensa só de olhar nos olhos. Isso é utópico demais? Será que ainda tô vivendo nos meus 17 anos?
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.08.23 06:19 Furao_do_mato Sinto que deveria assumir minha sexualidade (e minha possível romanticidade), mas não quero (H, <18)

Desde o primeiro semestre, eu venho me identificando muito com os espectros assexual e arromântico e eu estava orgulhoso no "armário", já que, apesar de querer me casar e ter filhos um dia, nunca me senti um "perdedor" por ter passado o ensino fundamental e médio "BV", inclusive achava até desconcertante e sem sentido isso de quase tudo na vida de um homem se resumir a sexo e beijo na boca, tanto para heterossexuais, quanto para não-héteros.
Só que, quanto mais eu entendia sobre a causa aro/ace aqui na internet, mais eu via o tipo de opressão que meu grupo sofre (não vou descrever, mas parece o tratamento dado a homossexuais no século XIX) e descobri que o pior de todos é apagamento de identidade. Depois de ter visto um vídeo execrável cheio de desinformação e ofensas sem sentido, comecei a pensar o quanto as pessoas podem fazer associações e simplesmente não querer entender o que sinto.
Então, aí é que entra a parte de me assumir. Não quero ter que "sair do armário", porque, não vejo necessidade de me expor a um risco desnecessário com possibilidade de julgamento e represália de uma família que já disse "Casamento é ruim, mas namorar tudo bem que é impossível um homem viver sem mulher" e "Quem não gosta de mulher deve gostar é de homem" (como se fosse algo ruim ser gay, além de anular não-binaridade e a possibilidade de não sentir atração sexual e romântica alguma ou só em casos muito específicos) apenas para mostrar que eu existo e não sou como o mundo afirma ser.
Ainda queria desabafar essas coisas com pessoas próximas, porém não seria útil que fosse com parentes próximos e não sei se há alguma necessidade de falar essas coisas para meus quatro contatos de Whatsapp.
Queria a opinião de vocês de até que ponto é relevante eu me assumir e se realmente vale a pena romper os preconceitos da minha família que tem uma "bela" inclinação para a acefobia (preconceito contra o espectro assexual) e para a amatonormatividade (acreditar que namoros são mais importantes que relacionamentos de afeto não-românticos, como o platônico, apesar de que o termo também pode se referir a como um casal deve ser e quais tipos são válidos); além de que existem casos de pessoas que desenvolvem sexualidade e romanticidade tardiamente e desfazer uma declaração minha só geraria muito mais opressão no meio familiar.
submitted by Furao_do_mato to desabafos [link] [comments]


2020.08.18 09:49 Old-Philosopher-kun Acabei de descobrir que fui traído e isso me destruiu

Bom, no fim do ano passado eu comecei um namoro com um rapaz que vou chamar de Jonas. Eu e Jonas nos conhecemos pela internet no Tinder da vida e era tudo mil maravilhas, não tinha o que reclamar do relacionamento, era tudo absolutamente perfeito, nós sempre íamos para shoppings ver filmes e caminhar na praça. A gente sempre gostou de conversar sobre tudo até que num dia surgiu o tema banheirao do nada (pra quem não sabe o que é isso, é uma prática que alguns gays fazem que consiste em ir em banheiros públicos se encontrar casualmente com homens desconhecidos para fazer coisas não apropriadas se é que me entende) e ele disse que sentia nojo de tal prática e que jamais faria uma coisa dessas, eu compartilho do mesmo sentimento então concordamos 100%. 3 meses de namoro depois não foi dando muito certo, a gente não sentia mais o mesmo e decidiu encerrar o relacionamento pois havia resfriado, mas tudo no maior respeito e maturidade, foi uma conversa bem tranquila. Hoje mais cedo lá pelas 11h da noite eu estava navegando pelo Twitter e vendo perfis de alguns gays aqui da cidade, até que chegou nos perfis NSFW, tudo bem né, tava olhando pq ninguém é de ferro né e de repente me deparo com um da qual a foto não me era estranha, então abri... pior decisão da minha vida, ao ver os nudes eu logo reconheci, mas não queria acreditar então continuei rolando em busca de algo que provasse o contrário, afinal pode ser alguém parecido mas então vi os nudes que ele mandava pra mim enquanto namoravamos que eu jurava que era pra mim, e além disso tinha VÍDEOS dele fazendo coisas no banheiro e a data coincidia com o período em que namoramos.... isso me destruiu completamente, até porque eu confiei nele, fiquei desde aquela hora na cama sem conseguir dormir, sentido um aperto enorme no meu peito, chorando e tremendo, eu estava tremendo muito mesmo que não estivesse frio, os tremiliques já passaram e já consegui forças para me reerguer.... estou fazendo esse desabafo porque não estou sabendo como suportar isso... todo mundo que conheço está dormindo já que são 3:50 da manhã... tô vendo que vou estar um completo lixo na faculdade amanhã.
submitted by Old-Philosopher-kun to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 05:18 DemonFranco Vivi por 20 anos preso em minha própria melancolia.

Olá, comunidade do Reddit! Esse é meu primeiro post aqui :) Meu intuito neste, especificamente, é conseguir pelo menos um pouco de calor humano (metaforicamente, claro) pois sinto que minhas feridas nunca foram cicatrizadas, desde a primeira delas.
Bom, pra começar minha história: minha infância foi marcada por conturbações no casamento de meus pais. A diferença de personalidade dos dois gerou brigas cada vez mais pesadas e incontroláveis. Chegaram ao ponto que já não existia mais companheirismo e meu pai começou a beber e trair minha mãe. Me recordo vividamente de cenas terríveis, como ele estar horas no banho a horas e quando entro pra ver se está bem, na verdade ainda estava de roupa e dormindo no chão molhado. Ou até momentos de alteração violenta onde, por medo, eu me trancava no quarto e ficava debaixo da coberta até o dia seguinte depois que ele saía pra trabalhar. Nunca fui violentado fisicamente (minha mãe, infelizmente, sim), mas acho que meu pai estava tão perdido dentro de si que esqueceu que tinha um filho, então eram raras as vezes que sequer trocávamos olhares ou palavras, e quando acontecia era frio e passageiro. Pra tornar tudo ainda mais tenso, nossa situação financeira nunca foi boa: vivíamos peregrinando entre aluguéis mais baratos, acumulando prestações não pagas e até mesmo alimento chegava a ser escasso. Minha válvula de escape eram meus avós, que moravam na mesma cidade e sempre me acolhiam com mimos. Meu avô, entretanto, morreu quando eu tinha 9 anos e isso foi um impacto enorme que passou despercebido: minha avó entrou em uma depressão que foi negligenciada até o ano passado (2019), quando finalmente tomou a atitude de visitar um psiquiatra e foi diagnosticada. As brigas entre meus pais cessaram, mas isso foi ainda pior pois os problemas que já existiam continuaram a crescer em silêncio. Eu não recebi diagnóstico algum, até porque sempre fugi dos psicólogos em que me jogavam, mas o efeito também foi claro em mim: emagreci quilos em semanas, já não tinha mais vontade de fazer a mais simples das tarefas como cortar cabelo ou sair na rua, me tornei cada dia mais introvertido. Alguns anos depois, meus pais enfim se separaram, mas antes me deram duas irmãs e um irmão (as únicas pessoas a quem posso dizer com sinceridade sentir amor incondicional). A esse ponto, eu me vidrava em videogames e mentia pra mim mesmo sobre a realidade que eu vivia e não queria aceitar.
Essa foi, digamos, a "primeira temporada" da minha história. A segunda foi marcada pela péssima e mal executada decisão de me declarar a uma garota por quem, desde moleque, fui apaixonado, mesmo sendo que não tínhamos nem amizade. Tudo o que eu tinha era um sentimento inexplicavelmente forte, e nenhum tipo de habilidade social pra sequer chegar nela com um simples papo agradável. Porém, ela aceitou meu pedido de namoro. E isso me destruiu, porque na verdade ela queria dizer não, só não disse por """"medo de me magoar"""" e revelou isso depois de 2 anos me iludindo com histórias do tipo "meus pais não me deixam namorar, tenho que focar na escola", etc. Enfim segui minha vida tentando, sem sucesso, superá-la. Felizmente, apesar de introvertido, dois de meus primos viraram meus amigos próximos e isso me ajudou a segurar todo aquele peso de sentimentos que eu não compreendia e mal sabia que tinha. Vivemos anos sendo os nerdolas da escola, sempre juntos e com mais ninguém, até que um desses primos se incomodou com esse estilo de vida (e com razão) e começou a fazer novas amizades; eu e meu outro primo resistimos a isso, o que o separou da gente. Continuamos sendo introvertidos até o penúltimo ano da escola, quando ele também se afastou de mim aos poucos sem razão aparente (hoje, depois de conversarmos, eu sei que era porque não tínhamos mais muito a ver como antes). Meu outro primo, agora extrovertido, se adequou à grande turma da escola facilmente e não demorou pra ficar popular - felizmente pra mim, isso não subiu à cabeça dele e continuamos ótimos amigos até hoje. Ainda nessa época, conheci na internet uma garota de São Paulo que, com uns bons meses de conversa, acabou desenvolvendo sentimentos por mim; eu, carente e introvertido, abracei isso com todas minhas forças e namoramos virtualmente, com vários vai e volta, durante 3 anos. Apesar de que eu me sentia melhor em ser desejado por alguém, essa garota também tinha sérios problemas com depressão e no final só puxamos o pior um do outro. Minha única conquista nessa época foi meu primeiro emprego, da onde tirei dinheiro para ir visitá-la.
E é aqui que eu considero ser a "terceira temporada". Viajei pra SP e passei quatro dias junto com a garota que por 3 anos desejei somente por fotos e vídeos. Mas quando voltei pra casa as coisas já não eram as mesmas: ela só me dava respostas evasivas e ríspidas, parecia até mesmo ter raiva de mim, sendo que, em minha visão, tínhamos conquistado outro nível em nosso relacionamento. Mas ela obviamente não pensava assim e terminou tudo com a seguinte frase: "Estou tirando as pessoas tóxicas da minha vida". Foi esse o estopim pra eu decidir ser extrovertido e começar a viver fora de meu quarto, e eu tive resultados rápidos: fiz novas amizades e até comecei um novo namoro, agora presencial com uma garota que realmente me admirava. Porém, fui perceber tardiamente que pouquíssimas dessas amizades me faziam bem - a mais danosa delas foi a de um feiticeiro três vezes mais problemático do que eu. Como sempre fui uma pessoa muito compreensiva e aberta, relevei seus defeitos gritantes e mantive a ''amizade'' pelo conhecimento esotérico que ele passava (por mais que grande parte deste conhecimento fossem delírios de grandeza de um feiticeiro egomaníaco). Depois de dois anos meu próprio corpo começou a recusar a presença desse sujeito, que insistia sempre em me acompanhar mesmo quando não era conveniente: comecei a ter constantes dores de cabeça quando estava em sua presença, meio que como um aviso do que já era óbvio: aquele cara não prestava. Aos poucos comecei a me aproximar mais da minha namorada e outros amigos como método de me afastar do sujeito, e curiosamente (ou não...), essas pessoas foram abruptamente saindo da minha vida, incluindo minha namorada (agora ex), que era a pessoa em quem eu mais confiava e me dedicava. Ainda inocente e o chamando de amigo, nunca imaginaria que ele poderia ter relação com tudo aquilo, mas não parou por aí: depois que a poeira abaixou e eu consegui superar toda aquela maré estranha de azar, ele ainda usou o nome de minha deusa pra me iludir e usar meu corpo (sendo essa deusa relacionada ao luxo e ao sexo, era um contexto perfeito pra ele). Eventualmente descobri que não fui sua primeira vítima, e toda a imagem de sacerdote sábio que ele outrora passou, do dia pra noite, virou nada mais que um charlatão desesperado. Essa foi a separação mais problemática de todas que eu já tive, pois enquanto eu me afastava cada vez mais, o ego ferido do sujeito nunca deixaria tal afronta passar em branco, e recebi cargas de energia pesada nos meses seguintes. 2019/2020 caprichou muito bem no quesito de desgraças, pois minha mãe, extremamente cabeça dura e ignorante, agora se recusa a trabalhar fichada mesmo sendo que tem três crianças pra sustentar, meu pai passa por cirurgias seríssimas pois contraiu câncer maligno no fígado e isso não deixou de atingir minha vó ainda viva, que tem problemas de coração e toma mais de 300 remédios por mês (palavras dela).
E agora aqui estou eu, solteiro, enganado pela maioria daqueles que chamei de amigos, com uma provável depressão mal resolvida e uma família abalada desde os primórdios de meu nascimento. Felizmente não tenho problemas com autoestima, o que já ajuda muito, mas ao mesmo tempo não tenho motivação em fazer nada que não seja sonhar com uma vida simples, leve e longe de tudo daqui. Hoje, especificamente, está sendo um dia difícil pois minha ficha caiu e tomei consciência da minha situação - chorei muito, escondido. Mas decidi fazer algo a respeito por mais simples que seja: criei uma conta na Twitch.tv pra criar conexões com outras pessoas enquanto jogo, e também este post como o maior desabafo que já fiz na vida. Na verdade, só de ter escrito tudo isso e lido logo após já estou melhor. Mas ainda me sinto sozinho e desamparado, não consigo buscar ajuda com meus familiares pois nunca fui de me abrir pra eles, nem ajuda profissional por falta de dinheiro, e depois de todas essas quebras de confiança fiquei extremamente seletivo a quem eu quero do meu lado, sobrando dois/três amigos com quem posso conversar (e mesmo assim somente meu primo que convive comigo desde criança sabe de toda minha história).
Quem estiver disposto a trocar experiencias e conversar, simplesmente por conversar, ficaria muito grato!
Gratidão a todos que, mesmo não enviando uma mensagem, leram até o final com atenção.
Blessed be. :)
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 18:04 Yumi-Mochizuki Sou a babaca por não ter tirado minha amiga de um relacionamento tóxico?

Olá Luba, Editores, possível convidado e para todos os animais plantas e átomos que estão lendo ou assistindo, não sei porque não sou vidente.
Bom, essa história é recente, então não tem um final mesmo, apenas...não sei, a parte 1? Porque pelas circunstâncias, parece que ainda vai continuar, mas espero que não continue e quero que aconteça isso com ninguém, então antes de começar quero falar que saiba que nunca, NUNCA incentive aqueles tipos de namoros entre pessoas mais novas com pessoas muito mais velhas, não quero que ninguém, NINGUÉM cometa o mesmo erro que eu, mas cometi ele sem saber dessa parte, então, antes também de namorar, saiba pelo menos a idade do seu parceiro.
Então, faz alguns meses atrás que isso aconteceu, eu jogava um aplicativo que vou chama-lo de CarlsApp (só pela história começar por ele já posso ver que eu sou a babaca por ter ido pra lá) estava eu andando por umas salas de conversa até entrar numa sala onde conheci 5 pessoas, mas iremos focar em 2, vamos chama-los de Rainara, a garota, e Carls, o garoto, conheci Rainara e Carls, pensa numas pessoas legais, engraçadas e fofas, foi assim que pensava dos 2, estávamos conversando de boa nós 6, ficamos super amigos, principalmente Carls, Rainara e eu, ninguém ali se conhecia pessoalmente, todo mundo morava em parte diferente do Brasil, e Carls morava no Japão, então basicamente éramos amigos da internet, tudo de boa, saudável até aí, passou alguns meses e descobrimos que Carls e Rainara se gostavam, muito fofo pra todos nós, um cara legal com uma garota legal, muito fofo, passou umas semanas, e vimos que Carls pediu a Rainara em namoro, mas ninguém sabia se ela tinha aceitado, porque ela estava na dúvida, uma galera incentivava, pra mim estava no "algo de errado não está certo" mas como não via nada de mal então pra mim tanto faz, passou um tempo e comecei a ver que Carls estava dando em cima de mim, fiquei surpresa e ao mesmo tempo fiquei muito sla, não sei dizer, não gostava dele, não sabia muita coisa e muito menos não sabia se a Rainara tinha aceitado, e se sim? Eu não queria ser uma amiga má e corresponder o mesmo que o Carls fazia, perguntei pra ele como forma de mudar assunto (pois tava ficando muito doido o assunto e tava muito na cara que ele estava dando em cima de mim e tava só piorando) se a Rainara tinha aceitado, ele falou que ela não tinha aceitado, tinha ficado triste mas pelo menos tinha eu falando com ele, não estava convencida e ao mesmo tempo fiquei "cara, ele gosta de mim?" Como não sabia de nada , fui perguntar pra Rainara e ela falou que sim, ela tinha aceitado namorar ele, então eu falei logo o porquê tinha perguntado, e ela riu no início e depois pareceu chateada, mas no final da conversa ela simplesmente falou " normal, é o jeito dele", mano, e vamos de corna mansa, porque ele até falou depois que ele tinha até recebido nuds de umas outras garotas e começou a dá mais em cima de umas meninas, inclusive de mim, fiquei enojada porque ele fazia aquilo mas quando ele via ela falando com uns caras ele não gostava, ele ficava super no "você não me ama" e tals, passado umas 1 ou 2 semanas, tudo "normal" tinha ido assistir TV com meus irmãos, até que vi que minha mãe pegou meu celular enquanto tava lá assistindo, ela viu meus desenhos no cell, os vídeos que eu estava vendo, minhas mídias, super de boa até que ela viu minhas conversas, ela ficou chocada especificamente com a conversa minha e do Carls, ela começou a me dá sermão de que esse cara tava dando em cima de mim, era um cara nojento, concordei com minha mãe, pensávamos do mesmo jeito em relação a ele, então ela falou pra eu bloquear ele, e como uma boa filha, obedeci, não sei se foi uma escolha correta, mas isso foi o suficiente pra ver que Carls era muito pior que um namorado que corna minha amiga. Alguns dias depois, vi que o Carls e a Rainara, tinham me bloqueado, o Carls eu já sabia o porquê, mas a Rainara não, fiquei desesperada, pois ela era muito legal e gostava de falar com ela, então é aí que surge mais 2 pessoas, meus dois melhores amigos, vou chama-los de Zarls e Karls, Zarls falou que era melhor deixar ela com o relacionamento dela com o moço, porque se ela fosse minha amiga de verdade ela não teria me bloqueado, mas falei que tentaria mais uma vez e foi o que eu fiz, infelizmente minha última carta foi voltar pro CarlsApp, até ali não tinha mais voltado pois estava sofrendo ataques de pessoas que nunca vi na minha vida (uns seguidores do Carls) e aquele lugar me trás lembranças ruins, mas voltei pra tentar falar com a Rainara, ela não me bloqueou lá e falei com ela e a mesma disse que o Carls tinha ameaçado ela dizendo que se ela não me bloqueasse, ele não iria mais falar com ela, porque se ela amasse ele ela faria isso e tal (ou seja, outra chantagem) então eu resolvi falar pra ela que isso que estava acontecendo não é normal, que isso estava ficando super ruim principalmente pro lado dela, depois lembrei de um fato que fazia com que isso ficasse pior ainda, ela tinha 14 enquanto ele tinha 18, tipo, ele era maior de idade e ela estava num meio desse tipo de relacionamento com 14 ( outro fato que acredito eu que seje a parte que mais me fez ficar longe dele, foi que ele disse uma frase que me faz querer apertar o pescoço da pessoa que fala isso: " idade é só um número", " cara, tô nem aí, meu primo tem 35 e namora uma menina de 13, de boa, idade não impede o amor") Tentei convence-la ao máximo mas ela disse que amava ele, ele a amava, "quem sabe que eles se encontrem, aí viram um casal de verdade" (sim, ela realmente disse isso) e um monte de coisas desse tipo, pedi ajuda pros meus 2 amigos, o Zarls falou mais uma vez pra deixar ela, que quando ela perceber ela vai ver que fui uma boa amiga e que eu tentei ajudar mas ela não quis ouvir, já Karls falou pra ela tomar no c* e que era pra ela ser mais feminista e menos burra (concordei demais com ele), ouvi o Zarls e não falei mais com ela, desde então não tenho mais notícias relacionadas a o casal, o Carls tentou falar comigo no app mas decidi que nunca mais entraria lá. Todo mundo que eu falo e participou da história está bem, o Zarls está feliz por ter me ouvido e meu deu todo o apoio pra me ajudar a superar essa história, Karls ficou triste por eu não ter mandado ela tomar no c*, mas ele foi um grande amigo como sempre e também me deu muito apoio, minha mãe está feliz por eu ter parado de falar com o casal, ela ainda faz o mesmo sermão e fala pra eu aprender com isso e pra mim ela foi uma mãe muito incrível como sempre, pois sem ela eu nunca teria visto o quão tóxico ele era e o quão falsa e burra era a Rainara, mas a história não acaba assim, se não, não teria colocado no,título " eu fui a babaca?" Enquanto eu assistia a turma-feira, vi que a Rainara me desbloqueou e está tentando voltar a falar comigo, sinto que não desejo falar com ela, pois depois disso tudo, tenho a mínima vontade de querervoltar a reviver a história, meus amigos já falam que é melhor não, que isso só vai piorar, mas sinto que ainda não fiz nada pra ajudar e que ela pode está precisando da minha ajuda, mas mesmo depois desse pensamento, bloqueei ela, pois não quero mais falar com ela, não quero mas voltar a falar com os dois, nunca mais quero ver esses dois, mas as vezes me pego pensando que isso tudo aconteceu por minha causa. Será que na verdade eu fui a babaca dessa história? Tudo isso aconteceu por causa de mim ou não? Gostaria muito que vocês me falassem, então foi isso minha gente, muito obrigada por ler.
Caso queira ler isso também: Sei que isso tem nada haver com o " eu fui o babaca?" Mas gostaria de dá uma moral, nunca namore virtualmente? Sempre conheça a pessoa antes de namorar essa? Cuidado com quem você fala? Obedeça seu pai e sua mãe? Não! Bem... Sim, mas essa não é a moral, a moral é: nunca entre nesses aplicativos de falar com pessoas virtualmente usando personagens como aquele, sempre dá errado, se você namorar alguém por lá, você está destinado a ser corno.
submitted by Yumi-Mochizuki to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.06 06:08 denesfernando Sou Babaca Por Querer Que O Namorado Da Minha Amiga Não Passe Mais A Quarentena Aqui E Volte Pra Casa Dele?

Olá Luba, editores, gatas e Turma. Essa história que vou compartilhar aqui é recente, ainda estou tratando em terapia, mas ela começa um pouquinho lá atrás.
Um ""pouco"" de background para situar a todos de onde tudo isso começou.
Em 2013 comecei namorar um cara que vou chamar de Karen, por ele ser muito, mas muito CUSÃO (inclusive, ele se parece muito com você Luba e por vocês serem tão idênticos, eu passei um bom tempo sem assistir o canal, pois não conseguia te ver sem lembrar dele). Mas, enfim, em 2015 ele e o grupo da faculdade dele decidiram morar todos juntos em uma casa perto da faculdade, pois estava exaustivo para todos trabalharem em pontos distintos da cidade (São Paulo, para se alguém quiser se situar).
Então, em janeiro de 2016, eles se mudaram e eu ia para lá aos fins de semana, até que acabei me mudando para a casa em Junho do mesmo ano, no dia do meu aniversário.
Pois bem, foi uma fase horrível da minha vida por causa do meu ex, terminamos em maio de 2017 e tive que sair da casa. Esse meu ex era um abusador, um aproveitador, a pior pessoa que eu poderia ter conhecido na minha vida. Os abusos psicológicos que ele cometeu comigo, afetaram totalmente minha confiança e em como eu viria a me relacionar com outros caras, fora as crises de ansiedade que eu arrasto até hoje.
Mas então, eu fiquei amigo dos amigos dele da faculdade e em especial da Karls que virou minha melhor amiga.
Em 2017 eles terminaram a faculdade e em 2018 o contrato da casa venceu e eles finalmente poderiam se mudar, áquela altura ninguém suportava mais olhar pra cara do Karen.
Então, foi nesse momento, que a Karls e o Akarls me chamaram para vir morar com eles numa nova casa. Sem o Karen. E hoje nós três vivemos como uma família feliz com os nossos pets.
2019
Eu conheci um cara, eu vou chamar ele de Lars.
Lars e eu começamos a trocar mensagens, se conhecer, nos aproximarmos. Até então, antes dele, todos os outros caras que eu acabei ficando, não davam certo, (tem muito gay problemático nessa cidade). Mas Lars foi diferente, conforme nos conhecíamos, ele ia transpondo todas as muralhas que eu usava como defesa, pois meu maior medo seria voltar para um relacionamento abusivo, tóxico e doentio.
Com o Lars eu fui bem devagar, realmente queria conhecer ele, pra ver se o que eu estava sentindo era o certo e se ele não iria me fazer mal.
Nesse tempo conhecendo ele, eu desabafava com Karls todas as minhas inseguranças, pois ela tinha vivido todo o meu drama com o meu ex, ela sabia dos meus medos, receios, inseguranças em me relacionar com alguém e ela me dava todo o apoio, pra poder voltar a acreditar e saber que nem todo mundo é igual o Karen, que na verdade eu dei azar com o Karen, mas que não seria assim de novo.
Depois de tantos embates sobre minhas agruras eu acabei me desarmando e me permiti começar algo com o Lars.
Um mês e meio depois, finalmente decidi trazer ele em casa, para conhecer meus amigos e 😏.
Então, foi nesse fim de semana de novembro de 2019 que coisas aconteceram.
Depois de ficarmos, acabei aceitando os meus sentimentos por ele, pensei que depois de tanto tempo solteiro, passando por aventuras fracassadas com pessoas que não se encaixavam, onde a química só proporcionava uma reação inicial. Ali estava talvez o momento de poder compartilhar momentos com alguém.
Mas aquele início de sonho desmoronou muito rápido. No domingo quando ele estava pra sair para trabalhar, Lars me contou que iria para o Beto Carrero com um amigo. Fui pego de surpresa, pois ele não havia mencionado nada nas nossas conversas durante a semana.
Na época, Lars trabalhava como bartender numa cafeteria e reclamava de trabalhar muito, não ter finais de semana livres e só folgar nas segundas-feiras.
Como não tínhamos oficializado nada, nossa primeira vez foi na noite anterior e o fato de estar disposto a querer começar a construir uma relação tinha sido algo que eu havia arrazoado no meu coração, achei absurdo demais eu questionar porque ele não tinha me falado nada antes.
Tudo bem, ele iria no Beto Carrero com um amigo, logo após sair da cafeteria. Pegaria o ônibus na estação do Tietê no domingo a noite, passaria o dia no parque, já que a folga seria na segunda, e na segunda a noite ele voltaria e iria trabalhar na terça-feira de manhã. Eu, pelo menos, imaginei que seria assim.
Na segunda-feira, eu fui trabalhar normal, vi as fotos dele no Beto Carrero, os stories no Instagram aparentemente nada de estranho, mas a primeira coisa que me chamou a atenção foi o fato dele não ter postado um único story com o amigo, mas até aí, se eu encucasse com isso, seria uma atitude tóxica e eu não queria isso. Numa relação deve existir confiança.
Nós não nos falamos o dia inteiro, pois eu não iria ficar o importunando num passeio como aquele, que ele aproveitasse o máximo possível. Foi quando às 18:00 eu resolvi mandar uma mensagem para ele, já que eu estava saindo do trabalho.
A mensagem era mandando um "oi" e desejando que ele tivesse se divertido bastante e fizesse uma viagem tranquila de volta.
Foi quando ele me respondeu que não voltaria aquela noite, que ele iria para Balneário Camboriú com o amigo passear de barco. Eu fiquei completamente sem reação, foi um choque. Ele só reclamava de como o trabalho explorava ele, não era flexível e do nada, de uma viagem totalmente espontânea que aconteceu aleatoriamente pra aproveitar um dia de folga num bate e volta, surgiu uma folga no dia seguinte.
Eu não tive como não ser arrastado de volta para os tempos do Karen, onde eu fui trouxa por anos, onde ele matava aula pra transar na escada da faculdade, dizia que ficava até mais tarde no serviço pra não pegar trânsito, mas na verdade ia para dates furtivos de apps de pegação (inclusive tenho uma história ótima com relação a isso da época do Karen), enfim, meu cérebro e meu coração ligaram o sinal vermelho, as sirenes começaram a zunir no meu ouvido, a última coisa que eu queria era ser enganado como fui na minha última relação.
Voltando, Lars não falou mais nada depois disso, fui pra casa naquele dia. Na terça-feira de manhã, outro sinal de alerta, não tinha nenhuma mensagem no celular. Isso poderia ser irrelevante, se a gente não tivesse passado o último mês e meio, trocando várias mensagens e memes da hora que acordava até a hora de dormir. Me senti mal, a conversa tinha morrido da noite para o dia, fiquei angustiado, pois eu estava começando a gostar dele e aquilo mudou da noite para o dia.
Terça-feira se foi, ele em Balneário Camboriú, fotos e stories no Instagram se seguiram e nada desse amigo misterioso.
Finalmente, a noite ele estava voltando e mandou uma mensagem dizendo que estava exausto, mas estava voltando. Nesse momento, minha mente já tinha formulado mil e uma histórias, mas resolvi ser prudente, apesar da angustia que estava sentindo.
Foi difícil dormir aquela noite, na manhã seguinte, ele mandou uma mensagem dizendo que havia chegado, estava exausto, mas estava indo trabalhar.
Nossa conversa, já não era a mesma, algo tinha mudado, as palavras ou a ausência delas são um termômetro para o coração, escrever para outra pessoa é um ato de conexão e o nosso elo havia se rompido.
Foi quando resolvi confrontá-lo.
Segue abaixo a conversa no whatsapp:
[28/11 11:56] Denes: Desculpa, Lars.
[28/11 11:56] Denes: Eu não sei de fato o que aconteceu
[28/11 11:56] Lars: Pelo o que ?
[28/11 11:56] Denes: mas desde terça que eu sinto que nossa conversa morreu
[28/11 11:56] Lars: :(
[28/11 11:56] Lars: Eu que peço desculpas
[28/11 11:57] Denes: se vc puder me dar uma luz
[28/11 11:57] Lars: Questão de conversa tbm não sei ... :(
[28/11 11:58] Lars: Não quero ser cuzao contigo
[28/11 11:58] Denes: me diz o que tá acontecendo
[28/11 11:59] Lars: Gosto olhando no olho
[28/11 11:59] Lars: Gosto de vc
[28/11 11:59] Denes: talvez não haja olho no olho se eu não entender o que está acontecendo
[28/11 12:00] Denes: eu tb descobri que estou gostando de vc
[28/11 12:00] Denes: descobri de uma maneira bem ruim
[28/11 12:00] Denes: só quero que vc me diga
[28/11 12:00] Denes: sem medo
[28/11 12:02] Lars: Eu recebi uma ligação de alguém antes de viajar que me deixou balanceado
[28/11 12:02] Denes: prossiga
[28/11 12:02] Lars: Não gosto da ideia por aqui
[28/11 12:03] Lars: Mas tá bom ...
[28/11 12:03] Denes: por favor, agora que começou, não pare
[28/11 12:03] Lars: Pouco antes de conhecer vc eu tinha acabado um relacionamento ...
[28/11 12:03] Denes: hum
[28/11 12:04] Lars: E tipo ainda algo que me deixa balançado e tal ...
[28/11 12:05] Denes: entendi
[28/11 12:05] Denes: ah...
[28/11 12:05] Lars: E tipo não quero mentir pra vc
[28/11 12:05] Lars: Nem ser um cuzao contigo me entende
[28/11 12:05] Lars: Quero ser sincero sempre
[28/11 12:05] Lars: Não só com vc mas comigo mesmo
[28/11 12:06] Denes: então, o livro de Harry Potter que está com vc, foi um presente de um amigo meu que faleceu esse ano, será que posso pegar com vc na catraca amanhã da Santos Imigrantes
[28/11 12:06] Lars: Sim ... Claro ... Mas queria conversar mais com vc pessoalmente
[28/11 12:06] Lars: Se não se importar
[28/11 12:07] Lars: Tenho um presente pra vc
[28/11 12:07] Denes: eu vou me importar
[28/11 12:07] Denes: por favor, sem presentes
[28/11 12:07] Lars: Tudo bem :(
[28/11 12:09] Denes: amanhã as 8:30 te encontro na Catraca
[28/11 12:09] Lars: :( eu lhe entendo sabe ... Mas confesso que gosto de vc e queria que vc permanecesse na minha vida independente de qualquer coisa
[28/11 12:09] Denes: não será possível
[28/11 12:09] Lars: Tudo bem eu entendo vc ... :(
[28/11 12:09] Lars: Me desculpa
[28/11 12:10] Denes: te encontro amanhã na catraca sem falta
[28/11 12:21] Lars: Hj vc sai que horas do trabalho?
[28/11 12:24] Denes: Desculpa, Lars. Mas eu só pretendo te encontrar para pegar o meu livro. Não, temos nada para conversar. Você não me deve satisfações, justificativas ou esclarecimentos. Apenas o meu respeito. Mas, mesmo assim. Esse ponto final precisa ser colocado.
[28/11 12:25] Lars: Tudo bem eu entendo e respeito vc ... Falei de hj pq posso te entregar hj o livro
[28/11 12:25] Lars: Ele está comigo aqui no trabalho
[28/11 12:26] Denes: Eu saio às 18:00
[28/11 12:26] Lars: Posso te entregar hj o mesmo horário ... Na estação melhor pra vc
[28/11 12:27] Denes: Que horas na Santos Imigrantes vc vai passar por lá?
[28/11 12:27] Lars: Umas 19h a 19:30
[28/11 12:28] Lars: Mas espero a sua hora
[28/11 12:28] Denes: Okay, as 19:00 estarei lá
[28/11 12:28] Denes: Se chegar antes estarei sentado em algum dos bancos da plataforma
[28/11 12:29] Lars: Tá bom
[28/11 12:29] Lars: Sei o que vc vai falar ... Mas desculpas :(
Quando ele falou dessa ligação do ex e ficou balançado, eu senti uma enxurrada de sentimentos negativos, o tsunami de chorume que eram as mentiras do Karen voltando a tona. Todas as desculpas esfarrapadas, parecia que eu estava vivendo tudo outra vez.
Eu estava cego, na gana de não querer cometer os mesmos erros do passado, acabei sendo seco, duro e intolerante, condenando um pelos erros de outro.
Eu já tinha sentenciado dentro de mim que aquela viagem foi algo que ele tinha programado com o ex e que tinha ido com ele e que eles tinham se acertado e que ele queria me manter como step se nada desse certo. Enfim…
Nesse mesmo dia, fui buscar o meu livro (um fato curioso, esse livro que foi presente de um amigo que veio a falecer em 2019, foi um presente pra me lembrar o quanto eu sou uma pessoa corajosa, era a edição de 20 anos da Pedra Filosofal nas cores da Grifinória e dentro ele escreveu a famosa frase da Luna "As coisas que perdemos sempre acabam voltando para nós. Mas nem sempre na forma em que pensamos." https://imgur.com/a/ebJFd2U
Ironicamente, quando paro pra olhar isso em particular, penso na grande ironia de tudo.
Eu cheguei antes na estação, fiquei esperando, sentado num banco na plataforma, vendo vários trens passando, várias pessoas descendo na estação vindo depois de mais um dia de trabalho. A minha ansiedade estava a mil, eu queria chorar, estava angustiado com tudo aquilo, pior, sem entender como "tinha cometido" o mesmo erro outra vez.
Ele chegou uns 15 minutos depois, estava com o livro na mão, eu peguei o livro e então ele me estendeu os braços pedindo um abraço, fiz com ele o que eu devia ter feito com o Karen, olhei para ele com a minha pior cara de desgosto e nojo e falei "Adeus", virei as costas e deixei ele lá.
Hoje, não me orgulho do que eu fiz, sinto vergonha quando penso, mas para que vocês entendam aquele gesto, mesmo ele não sabendo, era algo traumatizante, no término com o Karen, quando coloquei minhas malas e meus livros no táxi, ele chegou até mim e na maior cara de pau, na sua maior interpretação pra burguês ver, ele me pediu um abraço e o trouxa aqui cedeu esse abraço, então ele sussurrou no meu ouvido "Sou eternamente grato por tudo o que a gente viveu e você vai sempre poder contar comigo para o que você precisar" e quando eu precisei o que eu ouvi? "Não tenho obrigação nenhuma de te ajudar."
Quando eu saí da estação, bloqueei o Lars em todas as redes sociais, Facebook, Instagram, Whatsapp e até o número dele pra ele não me mandar SMS ou ligar. Não queria nunca mais ouvir falar dele pelo resto da minha vida.
Alguns dias se passaram e a Karls me contou que Lars havia mandado mensagem para ela no Instagram dizendo que estava preocupado comigo, queria falar comigo e eu irredutível falei que nunca mais queria saber nada a respeito dele.
Então ali eu tinha colocado uma pedra em cima desse assunto, vida que segue.
Dezembro de 2019
Karls é uma garota muito linda, mas em todos esses anos de amizade ela só se envolvia com os piores caras do Tinder, uma fase da vida dela que fazemos piada, mas que se você olhar atentamente, era bem triste.
Ela tinha o sonho de conhecer um cara bacana, compartilhar momentos, viver toda aquela fantasia de namoro, dormir abraçada, assistir anime, cantar músicas da Disney e cozinhar todos os pratos possíveis de todos os programas de culinária que existem no mundo.
Depois de anos, esse cara apareceu. Vamos chamá-lo de Darls.
Darls é um cara super carismático, que faz amizade por onde ele passa, falador, contador de piada, solicito, uma pessoa que todo mundo iria adorar ter como amigo.
JANEIRO 2020
Parecia que Darls sempre esteve nas nossas vidas, Akarls e eu o recebemos de braços abertos, pois víamos o quanto ele fazia Karls feliz.
Logo ele começou me pedir dicas e mais dicas de coisas que fariam a Karls feliz e nesses 5 anos de amizade eu era a pessoa que mais sabia de tudo o que a Karls gostava.
FEVEREIRO 2020
Eles oficializaram o namoro, (meio rápido, mas…), então ela entrou numa tour para conhecer todas os amigos dele, pois ele queria apresentar a namorada para as pessoas importantes na vida dele.
Darls mora a 35km de distância, num bairro distante, 2 horas de viagem no mínimo, mas ele sempre estava vindo passar mais tempo aqui.
MARÇO 2020
Pandemia chegou, isolamento social foi instaurado, pessoas em casa. Eu sou editor de vídeo, então estou trabalhando em casa desde que esse inferno começou. E quem acabou vindo para cá, também? Exatamente, Darls.
A companhia dele era agradável, e por vermos Karls feliz, nada objetamos, aceitamos naturalmente a estadia dele aqui. Mesmo que nunca tenhamos conversado isso entre nós, foi natural olharmos para a felicidade dela.
ABRIL 2020
Um mês de quarentena, eu sou uma pessoa ansiosa. Solteiro que passou da barreira dos 30, já havia sentenciado que não conheceria ninguém e morreria só, pois já estava sem esperança de conhecer alguém em um mundo sem um vírus mortal, imagina em um mundo onde estar perto 2 metros de alguém pode ser sua sentença de morte.
Eu comecei entrar numa crise terrível, comecei trabalhar demais, a fazer 12 horas de trabalho por dia e no meu tempo vago eu comecei a assistir todos os filmes e curtas gays já foram produzidos no mundo. E nisso, fiz a burrada de assistir um filme que superestimei por anos.
Brokeback Mountain.
'O que eu fiz da minha vida?'
Eu fiquei tão mal, mas tão mal, que naquela noite eu fui dormir chorando e os dias que se seguiram eu tive tanto remorso pelo final daquele filme, que certo dia eu comecei chorar na frente da Karls e do Darls enquanto a gente almoçava.
No final de abril, meu tio implorou que eu fosse na casa dele, pois estava tendo um problema entre minha mãe e minha irmã e ele estava preocupado da minha mãe acabar se metendo em um avião e vindo pra São Paulo no meio de uma pandemia. Fui, como se eu já não estivesse colapsando, ainda tinha que resolver o problema de outras pessoas.
Naquela semana, eu assisti um vídeo, tenho 80% de certeza que foi no LubaTV os outros 20% acho que foi no canal do Henry Bugalho, que falava sobre perdão, algo do tipo "se não perdoamos, do que adianta pedirmos desculpas" e eu já estava muito reflexivo.
De noite, eu estava no apartamento do meu tio, quando recebi uma notificação de que alguém tinha me seguido no Twitter.
Abri a notificação e vi que era o Lars me seguindo quase 6 meses depois. Ele não tinha twitter e tinha criado uma conta por causa da quarentena.
Minha primeira reação foi bloquear ele, mas aí bateu aquele turbilhão de coisas acumuladas nessa quarentena. O final de Brokeback Mountain, a fala sobre perdão e um detalhe sobre o Lars que pesou muito, ele tem diabetes, acho que é um tipo raro, ele desenvolveu super novo, ele toma dois tipos de insulina, ele é grupo do risco.
Sentei no sofá e me perguntei, 'o que ele queria depois de todos esses meses? Ele não entendeu o meu "Adeus"?'
Pois, bem. Fui até o Instagram, desbloqueei ele e mandei a seguinte mensagem:
"O que você quer?"
Ele levou uma meia hora pra me responder, o 'digitando…' parecia eterno.
Resumindo, ele falou que se importava muito comigo, que eu marquei a vida dele, que nunca quis se distanciar de mim, que jamais foi a intenção me magoar com o que quer que tenha acontecido e que nunca dei a oportunidade dele se explicar.
E eu respondi, que não importava o que ele tivesse para me dizer, não ia mudar a opinião que eu tinha sobre ele.
Ledo engano, meus caros.
Fui dormir às 4 da manhã, tirei tudo de dentro de mim, tudo o que eu inventei na minha cabeça. Porque no meu relacionamento anterior eu ouvi tantas mentiras, que acabei jurando que qualquer um iria mentir para mim, era o único referencial que eu tinha.
Só para que vocês saibam, era realmente um amigo, as fotos que ele tirou junto com o amigo no Beto Carrero, foram todas no celular do amigo a folga da Terça-feira, o chefe dele estava devendo uma folga para ele e como ele não iria poder tirar essa folga a mais do que as que estavam previstas para Dezembro, o chefe deu a folga pra ele na terça para que ele aproveitasse mais um dia de viagem. E sim, o ex dele ligou, ele ficou balançado, pois eles tinham tido uma história recém terminada, mas ele me contou, primeiro porque eu insisti, mas também porque ele não queria mentir pra mim, já que eu tinha todo esse problema com mentiras, então ele queria ser honesto comigo desde o início e que nunca foi a intenção dele voltar com o ex, tanto que ele não voltou, ele queria estar comigo, e que mesmo tendo passado todo aquele tempo ele nunca tinha me esquecido e não tinha desistido de mim.
Eu falei para ele que não sabia como reagir a tudo aquilo, disse que não sabia se seria capaz de confiar nele. E que ele não tivesse esperança, mas que eu iria refletir sobre tudo aquilo.
Então eu voltei pra casa e compartilhei a história com Karls e Darls.
Karls ficou meio com o pé atrás, mas Darls me apontou os erros que eu cometi, me fez enxergar o quanto eu tinha exagerado pelo medo e desconfiança que eu tinha, que não tinha nada a ver com Lars e minha ficha caiu.
Agora, tudo o que me restava era o meu orgulho, eu precisava passar por cima disso.
Voltei a conversar com Lars, aos poucos, foi difícil no início, mas ele foi muito tolerante, eu expliquei que não estava sendo fácil voltar a conversar com ele, mas que compreendi que muito daquela situação era culpa minha.
Ele começou a me mandar mensagens de manhã e a noite, de bom dia e boa noite e esporadicamente algum meme. Foram duas semanas conversando quando houve a necessidade da gente se ver. Eu não sabia como iria reagir.
Sim, ele viria aqui em casa no meio de uma quarentena, mas antes que cresça os julgamentos, moramos próximo um do outro, ele viria a pé, sem pegar nenhuma condução e num horário de pouco fluxo.
MAIO 2020
Então comuniquei que ele viria aqui em casa para Karls, Akarls e Darls. Aparentemente, achei que todos tinham recebido a notícia de bom grado.
Ele veio, a primeira coisa que ele fez foi ir para o banheiro tomar banho, com Covid não se brinca. Depois, sentamos e conversamos, e mais uma vez, eu falei tudo de novo, dessa vez olhando no olho, colocando tudo a limpo, uma conversa franca, contei de todas as impressões que eu tive de tudo o que aconteceu, como a narrativa se construiu na minha cabeça e porque agi da maneira que agi.
Em contra partida, ele disse que estava tudo bem, disse que ficou muito chateado, mas os amigos dele conversaram com ele dizendo que tinha um motivo para eu agir como eu tinha agido. Ele me falou que nunca me esqueceu e queria ter uma oportunidade de conversar comigo e esclarecer as coisas, pois sabia que tudo tinha sido um grande mal entendido. Ele falou que mandou várias mensagens para a Karls, mas não obteve resposta. E quando ele me mandou o convite no Twitter, ele disse que seria a sua última tentativa de se aproximar de mim, se não desse certo, ele mesmo desistiria de tudo.
Ele passou três dias aqui em casa, eu não me abri tanto com ele com relação a isso, mas eu senti muito remorso por como as coisas aconteceram por minha causa.
Outra coisa, lembra na mensagem, quando ele falou que tinha um presente para me dar e eu falei que não queria? Ele trouxe o presente, ele guardou o presente todo esse tempo e disse que toda vez que via o presente, ele lembrava de tudo o que a gente viveu e a coisa que ele mais queria era me dar esse presente, que ironicamente ele comprou na viagem para o Beto Carrero.
Era um funko do Harry Potter, já que eu amo muito Harry Potter. (Não, não sou transfóbico, eu amo Harry Potter desde 2000). http://imgur.com/gallery/cah0Ry7
Ele voltou pra casa dele. Continuamos a nos falar, reatar laços, ter essa troca.
Compartilhei minhas impressões com Karls e Darls, eu estava relutante, desacreditado. As pessoas subestimam relacionamentos abusivos, mas a gente carrega coisas por anos, os estragos são terríveis, estava eu provavelmente estragando uma oportunidade de ser feliz por medo de ser feliz.
As coisas foram devagar, estávamos conversando de nossas rotinas na quarentena, ele o quanto sentia falta do trabalho e não aguentava mais assistir séries e eu o quanto estava trabalhando e engordando, já que editor de vídeo trabalha em casa, praticamos isolamento social antes disso "estar na moda" (✌️ salve editores do canal, eu juro que tô escrevendo essa história que já passa de 4 mil palavras, pensando se realmente o Luba lerá essa história na Turma-Feira, fico imaginando no trabalhão que vocês vão ter pra editar, se eu puder pedir, posta a Timeline pra eu ver como ficou no final, curto muito timelines [Sim, pra quem não entende, isso é meio creep]).
JUNHO 2020
Lars voltou, veio para estar comigo no meu aniversário, inclusive ele me presenteou com Find Me do André Aciman, ele disse que queria me dar a muito tempo, pois em novembro do ano passado eu estava lendo Call me by your name e eu estava namorando pra comprar o livro quando fosse lançado, mas não deu nem tempo dele poder comprar na época.
No meu aniversário, resolvi cozinhar para comemorar, fazer escondidinho de frango. Eu estava de folga e queria fazer algo especial para Karls, Darls, Akarls e Lars. Eu passei a tarde e começo da noite cozinhando e Lars me ajudando.
Então, aconteceu o estopim de todo o caos.
Karls e Darls desceram e viram que o escondidinho não estava pronta ainda, ela fechou a cara e disse "Nossa, ainda não está pronto?". Depois eles fizeram um sanduíche e comeram e subiram, bastou aquilo pra me entristecer, até entendo que ela poderia estar com fome, mas ela bater porta de armário e a porta da geladeira acabou todo o meu ânimo, me senti super mal.
Comi aquele escondidinho triste, o clima na mesa estava tenso e na boa o que era pra ser uma comemoração no que eu acreditava ser entre família, foi a porcaria de um jantar de aniversário que eu perdi tempo fazendo.
Lars voltou pra casa dele, continuamos nos falando e estreitando os laços, aproveitando a companhia um do outro, e finalmente no meio de toda essa situação de merda que estamos vivendo no planeta, senti uma esperança de que talvez tudo daria certo, pelo menos uma vez.
Mais uma vez, ele veio passar o fim de semana aqui em casa, e foi divertido, assistimos filme, contamos piadas e o melhor, eu estava podendo dormir abraçado com ele, por a cabeça no travesseiro e não me sentir só.
JULHO 2020
O mês do caos, eu odeio Julho, por tantos motivos, sério. Eu tenho inúmeras histórias de desgraças nesse mês que PQP (Gif da Xuxa).
Lars me mandou mensagem dizendo que ele teve uma briga terrível com o sobrinho dele, na briga eles só faltaram sair na porrada, ele falou que estava mal por estar na casa da irmã dele e por toda essa indisposição com o sobrinho que tem 18 anos e é um completo folgado. Ele disse que iria procurar um lugar pra ficar, mas até lá, ele perguntou se poderia ficar aqui até encontrar esse lugar.
E como eu já fui colocado pra fora de casa pelo meu tio e me vi sozinho, eu sei o quanto é importante ter alguém pra estender uma mão amiga nessa hora.
Eu respondi que sim, mas que ia comunicar o Karls e o Akarls. Expliquei a situação Lars e eles falaram que tudo bem.
A Karls começou a fazer um freela permanente em um grande estúdio aqui de SP, então ela já não estava ficando em casa e quando estava, ficava a maior parte do tempo com o Darls, que ficou aqui em casa, mesmo ela trabalhando regularmente, já que as coisas estão flexibilizadas por aqui.
A princípio, Lars ficaria aqui até dia 10, ele tinha acertado de ir morar com um pessoal que ele achou num grupo do Facebook, mas o lugar onde esse pessoal ia morar não deu certo, pelo o que ele me contou, foi lance com a Porto Seguro, ele ficou decepcionado, porque os meninos eram legais. Então, ele voltou para a busca de encontrar um lugar pra ficar, eu inocente disse que ele poderia ficar o tempo que precisasse.
Interiormente, eu queria me redimir por toda a injustiça que foi o nosso início, queria fazer certo dessa vez, pois ele estava sendo bom pra mim e eu nunca tinha tido isso, esse convívio.
Enquanto ele estava aqui, comecei a ter companhia para o almoço, passei a comer direito, já que ele é obrigado a comer certo por causa da diabetes, eu estava até me alimentando nos horários certos. As noites assistíamos séries abraçados, até a hora de dormir. Parecia um oasis no meio de todo esse inferno que estamos vivendo, por um único instante eu esqueci de tudo de ruim.
Nesse período, ele estava procurando vários quartos, mas só encontrava cativeiros sendo alugados por mercenários.
Conforme o mês ia passando, Karls estava bem estressada com tudo e quando estava todo mundo na cozinha, ela parecia evitar querer falar com ele. No início, eu pensei que fosse TPM ou alguma coisa em particular dela com Darls.
Mas eu tive certeza que era alguma coisa com o Lars, no dia que estávamos jantando e ela veio informar que o botijão de gás tinha acabado e ela tinha comprado um novo, mas ela insinuou que estávamos cozinhando demais. Eu fiquei, sem reação, pois não esperava por aquilo, como eu falei, ela e o Darls estavam fazendo todas as receitas que existiam na internet, como que o Lars 10 dia aqui era a causa do botijão ter acabado?
Então aquilo começou a ficar espinhoso e o meu erro foi não ter confrontado. Eu comecei a me sentir acuado com o Lars e não sabia o que fazer, ele já estava numa puta situação frágil por ter saído da casa da irmã por indisposição com o sobrinho e a coisa que eu mais queria era que ele se sentisse confortável na minha própria casa.
No meio de tudo isso, ele voltou a trabalhar e eu passei a acordar cedo junto com ele, pra tomar café e abrir o portão pra ele poder sair, num desses dias, eu levantei e fui no banheiro e enquanto eu usava, a Karls bateu na porta perguntando quem é que estava lá dentro de uma maneira meio ríspida, no caso era eu, mas o Lars viu a situação toda, ele não me falou, mas eu reparei que ele parou de tomar banho de manhã antes do trabalho. Dizia ele que o banho da noite era suficiente.
Depois, ele parou de tomar café da manhã, disse que tomaria café na cafeteria que ele trabalha.
A próxima coisa que aconteceu foi um dia que eu estava na cozinha e fui informado que Karls e Akarls decidiram que não iríamos mais fazer as compras de mercado juntos. E que só manteríamos os produtos de limpeza e higiene e que o resto era cada um por si.
Confesso, que na hora não compreendi o que estava acontecendo, eu estava muito desligado, na verdade não acreditava que os meus amigos estavam me excluindo por causa do Lars, eu estava sendo ingênuo, pois não imaginaria que aquilo estava acontecendo.
No meio desse caos todo, Lars, virou pra mim e disse que a irmã dele pediu que ele fosse na casa dela. Então ele iria direto do trabalho e dormiria lá no sábado para o domingo, já que estaria de folga e voltaria pra cá no domingo a noite.
Só que ele não voltou, ele disse que a irmã dele pediu para que ele dormisse lá mais uma noite. Pensei, okay, ele vem então amanhã direto do trabalho pra cá, mas aí ele não veio na segunda, foi quando o peso de tudo bateu.
A essa altura eu já estava angustiado com tudo aquilo e direcionei minha frustração para o lado errado, em vez de confrontar quem estava causando toda essa situação insatistória, eu cobrei dele, porque ele não estava aqui. Perguntei, porque ele não queria estar mais aqui. Ele falou que queria. Então, eu perguntei porque o domingo, virou segunda e agora a segunda virou terça? Ele hesitou, aí eu perguntei se era por causa da Karls e ele disse que só não queria incomodar ninguém.
Eu fiquei mal, por ele se sentir mais incomodado na minha casa do que na casa da irmã dele com o sobrinho folgado que estava fazendo da vida dele um inferno.
Fiquei desapontado, ele veio na quarta, conversei com ele, disse que iria conversar com a Karls sobre toda essa situação. Mas já era tarde.
Era a última semana de Julho, e antes mesmo que eu pudesse conversar com a Karls, Akarls chegou dizendo que não dava mais para dividirmos a conta de água como estávamos fazendo, por 3, teríamos que dividir por 5, já que a conta ficou mais cara.
Na sexta-feira daquela semana, Lars encontrou um quarto numa casa que ele meio que alugou as pressas e ele se mudaria na primeira segunda de agosto. Quando eu pude confrontar Karls, no sábado, sobre tudo aquilo, já era tarde. Falei que fiquei chateado deles quererem repartir a conta da casa por 5 com o Lars pelo mês que ele passou aqui, mas isso nunca foi nem cogitado nos 5 meses do Darls aqui. Falei que fiquei decepcionado por ela não ser capaz de enxergar a minha felicidade. Por não ser capaz de ver o quanto eu estava feliz, como eu enxerguei a felicidade dela com o Darls e o recebemos de bom grado dentro de casa por causa da felicidade dela. Disse que foi muito cômodo pra ela ter alguém pra poder dormir junto, assistir coisas juntos, ter os momentos a dois e quando eu pude ter o mesmo, ela não olhou para mim com os mesmos olhos.
Enfim, Lars se mudou, tomei esse tempo que poderia estar assistindo uma série com ele para escrever tudo isso. Angustiado e decepcionado. Darls não tem culpa de nada do que está acontecendo, mas agora acho completamente injusto ele estar aqui e o Lars não estar, não sei o que fazer, minha vontade é de falar, "acabou a quarentena para os dois, pode voltar para sua casa". Me sinto injustiçado e triste por alguém que eu amo tanto, não ter sido capaz de enxergar que eu estava feliz. É isso, estou esperando a próxima sessão da minha terapia e Karls e Darls estão lá no quarto dela e eu estou só.
E para finalizar, essa foi minha conversa agora a pouco com o Lars.
Lars https://imgur.com/gallery/PRrxEI6
submitted by denesfernando to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.26 03:29 CaosCand O ÔNIBUS

TurmaFeira

O ÔNIBUS Olá pessoas de nomes diversos q seguem o Luba, pessoas de papéis, pessoas felinas e pessoas escravas que trabalham no vídeo.
Essa história é a favorita dos meus amigos e sempre que lembram eles me zoam por isso. Minhas melhores e piores histórias são com meu ex, então pra não ficar falando ex vou chamar de falecido. Bom, no começo do namoro era aquela coisa doida né, a gente queria ficar junto, dar aqueles amassos e tals. E as vezes não tinha onde. Logo nos primeiros dias que nos conhecemos tinha a casa do pai dele, que estava fechada pois o cara tinha morrido. E deu a louca de irmos lá. Nós mais um amigo, carls. Casa toda abandonada, caindo aos pedaços, vegetação alta. Pulamos a cerca e queriamos de todas as formas entrar na casa. Mas óbvio ela estava bem fechada. Carls que era magro igual vara-pau subiu numa árvore e entrou por um buraco no teto e se jogou lá dentro pra abrir por dentro. Conseguimos entrar. Estava tudo vazio mas muito sujo. Ficamos lá nos três sentados puxando conversa até carls deixar eu e falecido sozinhos. Começamos a nos amassar… só que na sala havia um lençol apenas. Onde só deus sabe pelo que passou. E em um canto um ESQUELETO de rato. Sim. E fizemos fuc fuc ali naquele lençol. Dias depois na casa da avó do falecido, no quarto dele, estávamos fazendo fuc fuc novamente. E eu senti uma coceira na Abigail. Mas o ato já coçava então deixei. Mas depois de uns minutos estava estranho. Paramos. Pedi pra ele olhar. Como o escroto que ele era ele começou a rir desesperadamente. E eu a chorar pq não sabia o que tinha acontecido. Abigail estava do tamanho de uma bola de baseball. A sensação era que eu tinha levado uma picada de abelha pq não sentia direito. Hoje eu morro de rir contando pq lembro da sensação. Chamamos a avó dele. Liguei pra minha tia (pq era vergonha demais contar pra minha mãe) era um domingo tudo fechado. Eu levantei E NAO CONSEGUIA ANDAR PQ NAO DAVA PRA FECHAR A PERNA DE TAO GRANDE O NEGÓCIO ALI. Tentei fazer uma ducha mas a água dava uma sensação muito estranha pq a sensibilidade aumentou 100% depois de um tempo. Meu Cleiton tava pra fora do capô e do tamanho de uma bola de gude daquela q pega nas máquina de moeda kkkkkkkkk Combinamos de ir no hospital próximo na segunda. Achei q ia acordar melhorzinha q nada. Não coloquei calcinha nem nada pq não consegui, coloquei um moletom largo do falecido apenas e andar era horrível pq eu andava como se tivesse cagada pq n conseguia fechar a perna. E ele morava longe. Pegamos um ônibus MALDITO que passava pela linha do trem. A Abigail enorme. Eu sentada na pontinha do banco, ônibus meio vazio graças ao Bom Deus. E ele começa a pular e chacoalhar. Eu me agarrei onde pude só q Abigail tava tão grande que o impacto foi todo nela tadinha. E eu tentava não gemer, só que eu nem sabia se tava com dor ou se tava bom. E na hora que passou pelos trilhos. Meu senhor amado. Acho que aconteceu. Eu não sei, mas acho q aconteceu. Pq eu não conseguia parar quieta nem ficar quieta e falecido estava bravo pq eu estava fazendo sons estranhos. Só sei que cheguei naquele hospital mais acabada que não sei oq. No fim era um tipo de candidíase e foi só colocar uma garrafa de água gelada no meio das pernas por cima da calça que voltou ao normal em minutos. Mas Abigail nunca mais foi a mesma. Ela sentiu coisas. Beijo Lu se cuida, se cuidem meninas não façam isso <30
submitted by CaosCand to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.22 20:01 UzumakiGabs Sobre autoestima e [email protected]ção

Eu namoro um cara há uns 3anos. Ele sempre alegou ser praticamente assexual, quase sem nenhuma libido e que realmente não gostava de sexo. Eu sou, talvez, uma pessoa com depressão crônica, que se arrasta por vários anos, e com histórico de abuso sexual e exposição de videos/fotos íntimas. No começo, não me importava com essa falta de libido dele. Porém, o tempo passou, comecei a me exercitar e a me sentir mais bonita, e, depois de muita terapia, me sentir mais a vontade para praticar saliências rs. Ok, meu namorado estava de acordo. Porém, ele praticamente não me procura, e sempre me deixa sem graça pra fazer investidas. Houve uma vez em que eu fiquei dois dias andando nua pela casa e fazendo várias insinuações explícitas de que queria transar com ele. Bem, ele me ignorava, ia pro banheiro e se masturbava assistindo a algum vídeo sobre gostosas peladas lésbicas em público. Me frustra o fato de que ele prefere se masturbar à transar comigo, e que, nas poucas vezes em que fazemos sexo, ele goza e me deixa "na mão". São os cinco piores minutos do meu dia. Já briguei com ele por isso, principalmente porque as vezes ele deixa o banheiro todo espirrando, e não se dá ao trabalho nem de apagar o histórico do celular. Sou uma pessoa com recorrentes tentativas de suicídio e uma extrema baixa autoestima, me machuca o fato de ele preferir ver mulheres no celular do que a mim, que estive do lado dele nas piores situações possíveis. Eu gostaria de saber o que eu faço. Sei que as pessoas se masturbam por diversos motivos, porém, tive uma criação bem rígida e tenho diversos traumas em relação a isso. Só queria saber algum modo de não ficar tão triste com essa escolha dele, de preferir assistir pornô do que responder às minhas investidas.
submitted by UzumakiGabs to desabafos [link] [comments]


2020.07.20 06:48 MaelyzRoza Seu amigo te beijou a força, logo vc é uma vagabunda

Olá Luba e possível convidado, Misty e Galadriel(pss pss pss), editores seus lindos, cabeça do Fodrigo Raro e turma que está a ler.
Como eu sei que vocês adoram histórias de ex, aqui vai logo a história triste do final do meu primeiro namoro envolvendo Nice Guy, relacionamento abusivo e dupla traição por parte do meu ex e do meu melhor amigo na época.
Os nomes já estão alterados então não se preocupem em censurar caso apareça em vídeo.
Eu nos meus inocentes 15 anos tive meu primeiro namorado(vamos chamá-lo de Charlie), mas de cara meu pai não gostava dele pq ele tinha certeza que Charlie não gostava de mim, fica a dica desde agora turma, ouçam seus pais pq o instinto deles não falham. Charlie no começo do namoro era super carinhoso e sempre me dava presentes, sms logo de manhã me elogiando dizendo que eu era maravilhosa, cineminha todo fds e etc. Lá pro nosso 6° mês de namoro esse carinho foi sumindo, mas eu não ligava, pensava que era normal pq ele havia acabado de começar a corrida pro vestibular e então eu achava que eu tinha que ficar na minha e deixar ele quieto pra estudar por que dali a dois anos eu iria gostar que também me dessem meu espaço. Só que a partir dali começaram as brincadeiras imbecis tipo falar do meu peso e do meu cabelo e das músicas que eu gostava e o fato de eu estar correndo atrás de ter uma banda (ele teve banda durante um tempo também e pareceu estar querendo começar a competir comigo), havia também piadinhas machistas desagradáveis entre os amigos e nas redes sociais, tudo isso só piorava e como se não fosse suficiente ele se recusava a me visitar e sempre usava a desculpa do vestibular, eu tonta e apaixonada aceitava, mas meu pai continuava dizendo que nada daquilo era normal num namoro até por que minha irmã também estava em ano de vestibular junto com o namorado e eles sempre estavam juntos e cuidando um do outro, ao contrário de Charlie que parecia sempre me afastar ou exigir que apenas eu me esforçasse pela relação e claro que eu trouxa como era acabava aceitando.
Bom, fechando um ano e um mês de namoro com Charlie, era março eu acho, não tenho certeza, mas era o dia do aniversário de um dos meus melhores amigos, que morava a literalmente 10 minutos da minha casa, vamos chamar esse meu amigo de Bruno. Bruno fez uma festinha e chamou os amigos e a namorada, perguntei a Charlie se ele não queria ir cmg pra conhecer um dos meus melhores amigos, ele se recusou claro e ainda perguntou em um tom meio autoritário se eu realmente iria e eu disse que sim, eu já estava um pouco saturada das brigas e indiferença dele e consegui ignorar a birra dele. Eu cheguei bem cedo na casa do Bruno já que a mãe dele pediu minha ajuda pra cozinhar algumas coisas inclusive algumas pizzas que modéstia a parte faço muito bem, a família dele sempre gostou muito de mim então ajudei de bom grado. Quando acabamos de preparar a comida os amigos do Bruno ainda não vieram, então eu e ele fomos assistir filme na sala, como entre qualquer dupla de amigos a gente compartilhava os problemas e causos dos namoros então eu contei pra ele sobre o comportamento do Charlie e como eu tava um pouco cansada daquilo. O Bruno após ouvir aquilo simplesmente METEU A MÃO NA MINHA COXA E COMEÇOU A ME BEIJAR, eu imediatamente afastei ele muito brava, perguntei que m***** ele estava fazendo (vamos lembrar que o Bruno também tinha namorada), ele ficou sem reação, depois tentou falar algo sobre gostar de mim e só estava com menina atual pq eu estava com o Charlie entre outras coisas do gênero que não me lembro agora. Eu comecei a chorar com muita raiva e confusa, simplesmente quis ir embora, pedi licença a mãe dele e saí dali o mais rápido que podia, eu só pensava em como me senti agredida e o quanto eu queria ver o Charlie.
Mas o pior vai acontecer agora.
No dia seguinte eu contei ao Charlie o que houve, não omiti nada, afinal eu tinha a consciência limpa que na verdade eu havia praticamente sofrido um assédio e não tinha culpa de nada, tudo o que eu queria era abraçar meu namorado e me sentir segura. Charlie fez totalmente o oposto do que eu esperava, ele disse que se o Bruno havia me atacado foi por que eu estava "dando chance" do nada o menino surtou e me disse coisas horríveis do gênero "eu não acredito que você fez isso comigo, eu confiava em você" como se eu tivesse traído ele, quando na real eu fui atacada. Depois disso Charlie terminou comigo e passou-se outra semana dele dizendo coisas horríveis sobre mim inclusive na escola que estudávamos pros nossos colegas em comum. Eu sei que mesmo com os problemas eu não queria terminar daquela forma e foi um baque horrível na minha e autoestima esse fim de namoro, cheguei até mesmo a ter um desmaio no meu treino de muay-thai pq fazia quase uma semana que eu não me alimentava direito depois do término e até mesmo em alguns treinos eu chorava pq não estava magra como queria achando que foi meu peso que fez o Charlie ficar frio comigo e a situação com o Bruno foi só a desculpa que ele estava procurando pra ir embora. Hoje em dia eu sigo em terapia pra superar esse e mais alguns traumas da minha adolescência, mas eu percebi que nunca mais tive envolvimentos amorosos com significado real pra mim e estou solteira até então (insira aqui o Luba dizendo vou morrer sozinho kkkk). Sobre o Bruno, eu disse pra ele esquecer que eu existia e que ele deveria ter mais respeito por uma amiga e pela namorada dele.
É isso turma, espero que gostem da história e que sirva de lição pra quem não caiu fora logo de uma relação de merda como eu não fiz de cara, não façam isso com vocês mesmos, ninguém merece isso, beijos menor que treixxxxx.
submitted by MaelyzRoza to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.20 03:06 Katimeu O Namoro Corrompido

Olá Turma, Redditors, Luba, espiritos de papelões, gatas fofas, possivel convidado, e editores (se isso parar em um vídeo), estou aqui para contar sobre meu primeiro relacionamento gay, talvez a pior experiência que tive, saberam o motivo.
Isso aconteceu no ano passado, eu estava com 15 e o garoto também tinha, no início do ano eu estava namorando com uma garota amiga nossa, a gente se via mais por um jogo, eu não gostava dela tanto mas eu ficava com ela porque era bom ver ela feliz, ficamos juntos por duas semanas, até que percebi que meu amigo gay e furry estava meio triste, ficou assim por mais dois dias até que ele desembuchou e disse que gostava de mim, algo que me surpreendeu porquê eu deixava claro no ano que eu era hétero, mas como muitos jovens eu gostava de experimentar coisas novas, enfim, eu levei 3 semanas pra pensar naquilo e refletir sobre o que fazer até que eu conversei com minha namorada e ela até achou bom eu procurar alguém que eu quisesse realmente ficar, pelo visto ela queria mesmo ficar na amizade, mas enfim, após isso eu falei com o meu amigo e começamos o namoro! Algo bom pq eu me senti muito bem com ele, eu estava realmente atraído por ele, enquanto amigos ele se mostrava alguém muito legal, mas isso mudou bastante após apenas 2 dias, depois de termos começado o namoro percebi que ele estava meio estranho, quando eu tentava conversar com ele, ele sempre respondia com algo curto, quando eu falava que amava ele geralmente as respostas que eu recebia era apenas um 'também', algo tbm que dificultou em nosso namoro foi o fato de ele ter depressão, esse namoro não durou muito, acho que foram 5 dias, no final desses 5 dias eu fiquei perguntando a ele o porque de ele ter terminado comigo, essa "briga" durou mais 3 dias, até que ele falou que eu não parecia ter a idade que eu falava, ano passado eu costumava ser bem fofo e falar de maneira kawai, digitar erradinho, começando com 'nya' e usando emotes, depois disso começamos a nos distanciar bastante até que não nos falamos faz 1 mês, hoje namoro com uma garota incrível que eu a amo e ela me ama, fazemos até presentinhos de aniversário e um "feriado" apenas nosso todo mês, a história não é algo tão incrível mas foi bem tenso ao vivo, talvez eu me arrependa de postar mas ok, um abraço pra todos que leram.
Duas prints apenas para provar a merda
(Nos prints ele já foi banido do Discord, não sei porquê)
submitted by Katimeu to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.14 14:34 White_girl_ Por que o whatsapp GB *NÃO* deveria existir.

Olá luba, editores, gatas, possível convidado, turma que está a ler e se minha história entrar no vídeo, para as pessoas que estão a ver também.
Título: O dia em que minha vida quase acabou.
Pra quem não sabe, Whatsapp GB é tipo um mod, que deixa o whatsapp totalmente diferente, dá pra fixar várias pessoas, mudar as fontes e estilo do wpp
Até aí tudo bem
Mas, quem usa o whatsapp GB pode ver mensagens e status apagados.
Minha história se inicia no final de 2019.
Vou chamar o garoto de panda, era o apelido dele pq ele é meio... é ofensivo chama-lo de gordo? Não sei, ele era.. grande? Fofinho? Você entendeu.
Eu já namorava ele à um tempo e ele vivia mandando foto da pica, que mais parecia um salame, e pedia frequentemente pra eu retribuir com fotos dos meus seios, um dia eu cedi e mandei. Esse foi o maior erro da minha vida- Ele elogiou e tals, e continuou pedindo, implorando, e quando eu disse não, ele virou um puta nice guy Me xingando de tudo quanto é nome pq não mandei a foto a ele Fui dormir brigada com ele, mas no dia seguinte já estava tudo bem entre nós, continuei o namoro, ele me pediu uma foto dos meus peitos com o nome escrito, depois mandou uma foto pra mim da EX dele, com os peitos de fora e o nome dele escrito, com a legenda "assim"
Eu não fiquei full puta com ele, pq tipo, as coisas que eu sentia por ele não eram muito fortes e verdadeiras, ele estragou toda a chance de eu amar ele de verdade, mas eu insisti e pensei que poderia mudar, pq ele era um cara legal e achei que valia a pena, mesmo assim, não mandei a foto com o nome dele nos meus peitos.
Sobre a parte: "eu insisti e pensei que poderia mudar, pq ele era um cara legal e achei que valia a pena."
Mudei de idéia sobre isso quando ele me mandou uma foto da larissinha da MESMA EX com a legenda "eu gosto assim"
Terminei com ele, bloqueei em tudo, aí, uns dias depois recebi uma mensagem de uma conta fake dele pedindo desculpas por explanar a única foto que mandei a ele e pedindo pra voltar, porque me amava muito e tal
Meu sangue subiu, xinguei ele de todas as maneiras possíveis e mandei ele nunca mais falar comigo, bloqueei a conta fake e falei da cara de pau dele pra uma amiga minha, obviamente não contei sobre a foto.
Mas, agora, o real motivo de eu sentir a necessidade de postar isso.
--Anteontem, 12 de julho de 2020.--
Eu estava tendo um dia bem agradável. Eu tenho um Namorado, vou chama-lo aqui de sorvete, fodac- Então, eu e sorvete já tínhamos o costumes de trocar fotos, vídeo e gifs "indecentes" naquele dia em especial nós combinamos de enviar vídeos mais longos, porém durante a noite, por conta dos meus compromissos e respeito as pessoas na casa de ambos. Chegou o momento e ele enviou o dele, estava tudo bem, eu estava me preparando pra gravar o meu, até que chega uma mensagem de uma amiga minha, que eu conheço desde 2017
"Desculpa o incômodo, mas por que o seu namorado postou uma foto de você nua?"
Primeiro eu pensei que ela estava brincando, depois que percebi que era verdade, meu mundo virou de cabeça para baixo, meu corpo todo tremia, meu coração estava saindo pela minha boca, descidi que ia questiona-lo
"Sorvete, você postou uma foto minha pelada?"
Ele começou a dizer que clicou errado, que já tinha apagado, que foi sem querer, disse que estava chorando muito, e implorou pra eu não terminar o nosso namoro, ele tbm disse algumas vezes q sabia que eu tinha perdido a confiança nele, mas não era isso, é que eu já havia passado por uma situação parecida, eu tinha alertado ele para guardar as fotos bem, que era pra ele tomar cuidado ao postar as coisas
Liguei pra ele na tentativa de acalmar ele
Acho que ajudei um pouco, mas eu não ia deixar isso de graça, disse a ele que ia postar e apagar uma foto dele e ele falou q realmente era justo, então foi isso q eu fiz.
depois eu falei um pouco com ele sobre isso e fui dormir triste
--Ontem, 13 de julho de 2020--
Ele tentou enganar as pessoas que responderam o status dele.
Dizendo q era da internet, eu mandei ele me mandar os prints
A primeira q viu foi a minha melhor amiga desde 2017, me alertou, ela sabia que era eu.. foi humilhante.
O segundo foi um mlk q eu n conheço, o Sorvete conseguiu fazer ele acreditar q era da internet
A terceira foi uma colega de turma, ela tinha ctz q era eu, mas o Sorvete disse a ela q era da internet, ela falou q o cabelo era igual E ele disse q esse era o jeito enquanto eu não mandava- Acho q ela ainda acha q sou eu, mas faz parte né?
E talvez tenha outras pessoas com whatsapp GB ou YO que viram, mas ñ responderam.
Pedi a ele se eu podia fazer essa postagem no seu subreddit, como uma forma de desabafo, ele disse que tudo bem, e cá estamos..
--Hoje, 14 de julho de 2020--
Não terminei com ele, foi um acidente, não é culpa dele.. né? Eu amo muito ele, e não quero superar isso sozinha, eu quero ficar com ele pro resto da minha vida, sem o sorvete me apoiando, eu acho que eu já estaria bem pior, quem sabe nem mais viva... E ele tá numa depressão do caralho por causa disso, ele me diz que não queria q me vissem desse jeito, acho q ele ficou com ciúmes
Sorvete, se estiver vendo isso, eu quero te pedir uma coisa- eu sei que vai ser difícil passar por isso, mas eu sei que nós vamos superar, juntos.
você é o meu sol, e é com quem eu quero passar toda a minha vida.
Você quer casar comigo?
submitted by White_girl_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.11 20:37 darwinson-chan O dia que minha namorada me expulsou do armario

Olá lubixco, editores, papelões (ou restos deles...), possível convidado (q n deve existir pela quarentena), turma que está a ver ou ler e pspsps gatas (já que não olham mais pro luba, dêem atenção pra mim).
A história não é bem engraçada, mas talvez possa ajudar alguém ou até fazer algumas risadas... Espero que gostem!
"O dia que minha namorada me expulsou do armario sem querer"
Então para esclarecer, eu me descobri bissexual no 9 ano e comecei a namorar uma garota no médio. Nunca fui de pegar ninguém então acabou que ela foi minha primeira namorada e a unica pessoa que eu tinha beijado.
Eu e essa menina, que na época se chamava Isabele e é assim que a chamaremos aqui, tínhamos um relacionamento legal, assistiamos anime e, as vezes, íamos no shopping com algumas amigas (o que era mais uma desculpa que qualquer outra coisa, mas tudo bem). Mesmo assim ela ainda fazia algumas piadas sobre minha sexualidade, meio bifóbicas, tipo "bem que você podia ser 100% sapatao" ou "não precisa fingir ser meio hétero", enfim...
Quando tínhamos uns 2 meses de namoro, saimos em um rolê com umas amigas pro cinema. Estávamos sentadas na frente do Starbucks (ela com alguma bebida de lá e eu com a casquinha do Mc pq eu sou pão duro) enquanto as outras "compravam o ingresso" (provavelmente n queriam segurar vela ou estavam atras de algum boy).
Entao Isabele disse que tinha que conversar comigo. Ela tava meio estranha nas últimas semanas e eu já tremi na base, achando que tinha feito algo errado, que ela ia terminar comigo ou algo assim. Isso começou a me deixar meio nervosa (e eu tava meio instavel pela TPM).
Entao a Isabele falou algo tipo: "Eu nunca me senti bem comigo mesma sabe... nao me identifico muito com o meu genero..." então ela falou que estava questionando o próprio gênero (há algumas semanas ela confirmou isso). Eu falei que tudo bem, que ia gostar de qualquer jeito, que amaria elu independente do genero. Isabele disse que estava pensando também em mudar o nome e eu apoiei e taus (mas continuarei chamando elu por Isabele por pedido próprio para não expor).
Elu veio por trás para me dar um abraço, o que eu achei estranho pq como eu ainda não tinha "saido do armário" pra mt gente nao costumavamos ter essas demonstrações publicas e muitas pessoas achavam que éramos amigas. Dada a situação não me importei, NÃO É COMO SE ALGUÉM FOSSE ME RECONHECER. Então elu disse no meu ouvido...
Eu respondi que eu era bi, mas podia amar elu mesmo assim. Além disso, na minha cabeça, se eu fosse lésbica não poderia gostar delu, já que se identificaria com outro genero.
(Algumas pessoas consideram que bissexuais podem gostar apenas de dois gêneros e eu nao tinha certeza na epoca. Hoje já tenho mais certeza pois vi um vídeo de uma tiktoker que me representou( https://vm.tiktok.com/T6aeL). isso meio que me pressionava e me dava umas crises de identidade fodas. Mas tudo bem. )
Depois de uma breve discussão, que eu não lembro o q tínhamos falado, Isabele perguntou de novo, meio pra baixo meio irritade e falou que eu não podia ser bi se eu ainda gostasse delu. Eu, como a pessoa calma que sou, acabei gritando "não posso o car...valho!" E concluí "Pensei que te amar fosse o suficiente" e atraí um pouco de atenção, havia alguns grupos adolescentes próximos olhando (guarde essa informação, ela é bem importante).
Acho que elu ficou magoade com aquilo e eu me senti muito mal, mas qual o problema em eu ser bi? Além disso elu sempre soube que eu tenho muitos problemas quanto a isso e mesmo assim ao inves de ajudar com minhas crises fazia piada. Mesmo que não soubesse a real intenção, se Isabele estaria fazendo as piadas pra me acalmar ou talvez me fazer admitir ser lésbica. Enfim não sei
Anyway, eu não devia ter gritado, elu ficou brave e explodiu tb, dizendo que eu tinha preconceito com pansexuais por não me admitir ser. E do nada o assunto mudou "Aliás por que você não sai da porr* do armário, em cara***?! Não tem orgulho de sermos um casal? ".
Isabele queria muito que eu falasse pros meus pais, já tinha dito que se sentia mal em esconder isso. Os pais delu são de boa então ela contou pra elus e pediu pra manter segredo, mas eu não contei nem pra todos meus amigos. Elu queria muito se apresentar como meu namorade, mas eu sempre disse pra elu esperar e elu ficava chateadu.
Bem, até agora, Quem é o babaca? (Deixa nos coment com um * pra eu saber que está se referindo a esse momento)
Continuando: eu, que já sou chorona, naquele dia estava bem pior. Como eu sempre faço, sai correndo pro banheiro, bem clichê mas é.
Uns minutos depois a minha amiga, que vamos chamar de Ana, foi atrás de mim, me ligou. Eu tava trancada numa das cabines do banheiro, só atendi e falei que tava no banheiro e ela me achou por causa do tênis que eu tava usando, que tinha uma faixa de arco íris na sola (alias como ela viu o meu tênis sendo que eu tava na última cabine, nao sei. só espero que não seja do jeito que eu imagino).
Ela me acalmou e taus, naquele momento o que eu mais sentia não era ódio delu e sim de mim mesma, eu não tinha o porque de ter gritado, descontei nela os problemas das minhas próprias crises.
Enfim, o resto do role meio q miou né? Eu fui pra casa da Ana pq se meus pais me vissem com aquela cara iam perguntar. Eu tava digitando um textinho de desculpas quando ela me parou e mandou eu olhar o twitter no perfil de Isabele. Eu olhei e já notei de cara uma indireta: "Acho que fingir 'ser alguem que você nao é' é péssimo. Mas pior é mentir para os outros e continuar mentindo." Quem manda indireta no twitter? eu não uso muito, então não sei se é normal mas subiu o ódio de novo.
O dia não podia piorar né? Mas o problema é que a situação nao acabou aí.
Lembra que eu disse que tinham muitos adolescente lá? Então, acontece que esse shopping é perto do colégio onde eu estudo então geral vai la e entre eles estava uma aluna do colégio, vamos chama-la de Carls.
A Carls era da minha série e, como adolescente nao sabe cuidar da própria vida, não só contou pra umas amigas, como também filmou uma parte e postou no snap. Hoje me abomino por ter pintado metade do meu cabelo de vermelho pq provavelmente ela me reconheceu por isso. Sabe aquela garota que gosta de espalhar fofoca por aí e age como se não tivesse feito nada de errado? bem era a Calrs.
E como adolescente também adora uma fofoca ou jogar lenha na fogueira, de repente virou um rumor. Alguém tirou print e o negócio meio que espalhou. Lembro que naquele dia chegaram a colocar no stories do insta do colégio (o insta que é meio que um blog dos alunos do médio) uma enquete se nos shippavam ou não.
O twitter de Isabele era privado, o que talvez diminuiu o alcance, mas não o suficiente pra elu perceber o que estava acontecendo. O post foi suficiente pra confirmar que eramos nós brigando e tiraram print do post dela, então adiantou nada a conta ser privada. As pessoas das nossas séries perguntavam pra mim se era verdade, tratavam como se fosse um plot de uma série americana.
Enfim talvez esteja parecendo maior do que realmente foi mas, para dar uma ideia mais realista, boa parte do segundo do médio comentou sobre isso em algum momento (pq, por Isabele ser "diferente" e abertamente, as pessoas conheciam elu, a maioria inclusive apoiava) e alguns grupinhos de colegas que pelo menos me conheciam falaram comigo. Essa situação, por conta de alguns comentários no twitter (não muito gentis), chegou na coordenação, a orientadora foi legal, chamou a gente no fim da aula e disse que se houvesse qualquer preconceito podia falar com ela e taus. Isso tudo em uns 3 dias. A gente conversou com calma, eu ainda amava elu, mas não tinha muita certeza se deviamos voltar.
A situação chegou nos meus pais. Eu tive que explicar tudo pra eles. Não foi tão ruim, mas eu queria ter uma outra oportunidade ou sla. Fiquei de castigo por causa dos roles e por não contar, sem celular por uma semana.
Eu e elu tinhamos evitado nos falar na escola pra diminuir os boatos. Depois disso ainda não tínhamos nos perdoado totalmente, apenas evitamos. Eu fiquei com outras garotas e entao começou a quarentena (fazia pouco menos de meio ano desde todo esse role) e com isso as paranoias: Eu nunca cheguei a ficar com nenhum garoto, muito menos a namorar. Nao sei se sou pan, bi ou lésbica, até pq eu me meti numa situação em que meu companheiro se descobriu agenero no meio do relacionamento. Talvez eu seja lésbica e causei esse furdúncio pra nada?? Acho que essa situação colocou ainda mais pressão infelizmente e, sei lá, as coisas são confusas as vezes.
Semana passada Isabele me chamou no whats, conversamos e nos perdoamos devidamente e ainda sinto um sentimento por elu. Ai meu Deeeeus eu vou morrer sozinhaaa.
Enfim, espero que tenham gostado (foi mal pelo textao). Todos os que estão passando por essas crises de sexualidade, genero ou whatever, durante a quarentena, fiquem fortes, posso não ser a melhor pra dar apoio, mas tudo vai ficar bem. Desculpa pela historia longa
Beijos, =30
submitted by darwinson-chan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.09 07:24 luis_henrique27 Se vc continuar falando comigo, sua vida será DESTRUIDA se vc continuar usando o MEU DINHEIRO como desculpa!!!

Olá Luba, editores, gatas, papelões, possível convidado e Turma q está a ver. Primeira vez aqui, mimimiiii... NINGUÉM SE IMPORTA COM ESSA PORRA! Precisará de um vídeo inteiro só pra essa história. Eu tenho 13 anos e eu sou bi🌈. Sou gaúcho, tenta fazer uma voz de macho hétero de 13 yrs de idade com o sotaque gaúcho se quiser, pfvr NUNCA TE PEDI NADA. É fake. Eu inventei ela INTEIRA em literalmente em quase 2 FUCKING MINUTOS. Que imaginação fertil é essa a minha hein! Mas detalhes eu demorarei bastante para terminar! Os nomes são fakes e só o meu obviamente é real. Já consigo te ouvir dissendo: -QUE HISTÓRIA GIGANTESCA, VÉI!
 Parte 1 
Tudo começou no famigerado ano passado de 2019, quando eu conheci na minha escola um guri novo na Turma (do 6°ano {1°ano dos anos finais do fundamental} para ser mais exato), o nome dele é Vitor José. No entanto, dps de uns dias, nós dois viramos melhores A amigos e desde então, começamos a fazer praticamente TUDO juntos [aí aí, se eu soubesse o q tava por vir, bah né?]. Compartilhamos todos os nossos sentimentos, nossos ódios de tais alunos da nossa sala q viviam nos provocando e tals. No primeiro dia de aula, numa Segunda-feira em Janeiro (agr no 7°ano de manhã em 2020), ele começou a me pedir dinheiro, pois ele me disse q a sua família estáva ficando desprovida de money. {1ª tradução: comecei a usar a uma plataforma chamada Binomo para conseguir ganhar dinheiro, não só pra eu comprar coisas q de fato eu vou precisar usar, mas tbm pra dar para pessoas q precisam por conta da situação de Caronavírus. Eu guardei um pouco do dinheiro q eu ganhei na Binomo pra isso.} Por conta disso, eu aceitei de boa na lagoa. Dei R$2.000,00 pra ele. Apartir daí, alguma coisa parecia q começava a ficar meio errada. Vai ficar bem mais pior!(te garanto Lubinha)
Comecei a ter uma amizade bastante forte com a irmã dele, o nome dela é Júlia, e sem querer me gabar, mas ela é tipo vc LubaTv, linda para um k-rai. Até q do nada numa Seixta-Feira 13, ela me chamou no WhatsApp e ela disse:
-Oi, Luis. Td b contigo? Tem como cê dar uma passada aqui em casa?
Eu falei:
-Sim, claro q sim! É por algum motivo em específico, ou é só para passar por aí meixmo? Seus pais estão em casa?
Até q ela solta isso:
-Nem o meu irmão e nem ninguém estam em casa e é sobre o meu irmão, ele anda meio estanho ultimamente. Mas dá pra vc vir aqui?
Eu (obviamente) disse:
-Sim! Vou ir aí agr meixmo, Julia!
Ela disse:
-Q ótimo, tô esperando por vc, mor<3
Nós dois ja tínhamos um leve romance invouvido, mas nós ainda não tínhamos nos beijado [nós dois éramos BV e BVL até aquele dia]. Pelo fato de q ela me disse q o Vitor tava estranho ultimamente, eu já achei isso meio esquisito, pois ele não tinha falado disso comigo ainda. Quando eu cheguei lá tava chovendo. Ela me disse q a os pais deles foram ao shopping e ela precisava ir junto se ela não quisesse e ela não foi. Ela falou:
-Eu vi q antes deles saírem, eles foram ter uma conversa com ele no quarto dele e ela ouviu um diálogo. Vamos fazer assim, falas da mãe=M. Pai=P. Vitor= V. Júlia = J. Eu = L.
(2ª tradução: isso foi na mesma semana em q eu dei os R$2.000,00 pra ele na Segunda-Feira). O diálogo foi:
M- Então ele tinha te dado SÓ 2000 REAIS?!
V- Sim! Infelizmente SÓ isso, mesmo!
P- Vc TEM q fazeobrigar ele a nos dar MAIS do q 'só uma mixaria' de R$2.000,00.
M- Esse guri vale É OURO!!!
P-O dinheiro q ele ganha com essa plataforma Binomo, É COM CERTEZA BEM BEM MAIS DO Q R$10.000,00 SE DUVIDAR!!! ENTENDEU?!?!
V- Sim com certeza eu vou dar o meu melhor.
Ela me comprovou isso com um áudio que ela gravou e mandou pra minha prima, elas estudam na mesma Turma [7°ano tbm, mas na Turma de tarde].
Alí meixmo dps de agente conversar sobre isso tudo, ela se declarou para mim e me pediu em namoro. Eu asseitei e nos beijamos pela primeira vez em nossas vidas com muita felicidade. Quando os pais dela chegaram, ela pediu pra q eu me escondesse de baixo da cama dela, pq se eles me vissem, eles nos matariam pelo fato de q ela tinha trazido alguém pra casa deles e sem avisar (q agente tinha esquecido desse detalhe). Fiquei por pouco tempo alí. Eles entraram no quarto e conversaram um pouco com ela (na vdd só perguntaram se ela tava bem e tals...) e saíram do quarto e fecharam a porta. Quando a poeira abaixou um pouco, eu saí de baixo, dei mais um beijo nela e sai pela janela da qual eu tinha entrado, pq não teria como eu passar pela sala da casa dela sem q os pais dela E o Vitor me vissem lá.
Quando eu cheguei em casa já parou de chover e eu fiquei do lado de fora no quintal q ficou brilhando por causa da luz do sol q ficou refletindo na água da chuva entre a grama. Eu sentei numa mesinha q fica perto da nossa piscina de chão e eu fiquei pensando:
L-Obviamente eles estavam falando de mim, pq só eu dei dinheiro pra ele. Então, se for isso mesmo, eu vou ficar bem puto.
No mesmo dia, eu convidei a Júlia pra agente poder se apresentar como namorados para minha família num jantar q iríamos fazer, ela aceitou na hora. Foi um jantar muito divertido, contamos piadas, agente riu de história engraçadas da minha família e etc. Dps do jantar eu e ela conversamos um pouco mais (não sobre aquele assunto), e quando ela foi no banheiro eu fui na varanda do meu quarto e vi q iria começar uma tempestade com trovões e relâmpagos. Quando eu vi isso eu pensei:
L- suspiro~ É o momento perfeito!
Eu comecei a cantar a música No Time to Die da Billie Eilish, na vida real eu tbm faço isso de ver climas perfeitos pra mim poder cantar alguma música específica. Obs: Como se eu tivesse fazendo um reality show ou só participando do próximo High School Musical. Haha. Quando eu terminei de cantar, eu não vi q a Júlia entrou na varanda e ela decidiu me agarrar pela minha nuca e no meu casaco e me puxa girando fazendo com q eu ficasse encarando ela. Ela diz:
J- Vc canta mt bem. Algum dia vc me ensina cantar assim?
Obviamente eu falei:
L- Claro q sim, mozin.
Até q ela falei:
J- Desculpa, morzão, mas infelizmente vou ter q ir embora
Mesmo assim eu falei:
L- Tudo bem.
Quando o motorista dela foi lá em casa buscar ela, eu deu um abraço e um beijo nela e ela foi embora. Quando ela foi embora, eu tava MT cansado, e quando eu fui dormir, eu sonhei q eu tava num corredor cheio de neblina com várias portas (parecendo New Rules da Dua Lipa), até q eu vejo a Júlia mas a neblina ficou cobrindo a cara dela. Até q aparecem 12 passarinhos q rodeiam a sua cabeça e tbm uma águia q faz toda a neblina desaparecer revelando o seu rosto beautiful e ela anda mais rápido pra me abraçar e na hora em q no sonho agente se beijou, eu acordei.
 Parte 2 
2 dias dps, eu resolvi "conversar" com ele, já fiquei de saco cheio de pensar nessa poha. Eu mandei a seguinte mensagem:
L- Vitor! Fica quieto e fica on q eu NECESSITO falar contigo!!!
Ele falou:
V- Mds oq vc quer? Oq eu fiz?
L- Tu sabe MT BEM oq vc fez!
V- Não. Eu fiz oq?
L- Não começa não, tá?! Não começa a fingir q c NÃO sabe oq fez!!!
Ele saiu do whats, me deixando no vácuo mesmo VIZUALIZANDO a última msg (oq eu odeio pacaralho).
L- Eiii!, Eiiiiii!, E!, E!, I!, I!, I!, E!, E!!!!!!!.
No dia seguinte, eu fui pra escola e ele tbm foi e ele veio até mim e me deu 'oi' e me perguntou:
V- Cara, oq caralhos foi aquilo q aconteceu ontem no whats?!
Eu fiquei parado uns 10 segundos até falar:
L- Nada. Deixa pra lá.
Vc pode me chamar de demente nessa parte da história por não ter feito quase nada na hora, mas para pra analisar. Quando agente vai fazer uma denuncia por exemplo, como q agente mostra q é real? Com provas claras! E eu precisava de provas MAIS claras e apenas um áudio não provava mt coisa. Como vcs já devem ter entendido isso, vcs vão amar as próximas partes.
 Part III 
No mesmo dia, durante a aula de Inglês e durante um trabalho que eu estava dedicando a minha VIDA naquele trabalho avançadissimo na qual eu fiz a "biografia da 2ª guerra mundial, em inglês", minha amiga Vitória vira pra mim e disse: (Vitória= V’) V’- Luis, a Júlia pediu pra mim entregar essa cartinha pra vc.
Eu:
L- Vlw, migaã.
Quando eu abri a carta, estava escrito:
"Eu tenho uma surpresa pra vc, mor<3. Surprise, eu vou me mudar pra sua sala! Gostou?"
E eu escrevi:
L- AMEI!!
Entreguei a carta de volta e falei:
L- Entrega pra ela de novo.
submitted by luis_henrique27 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.07 19:01 luis_henrique27 Se vc continuar falando comigo, sua vida será DESTRUIDA se vc continuar usando o MEU DINHEIRO como desculpa!!!

Olá Luba, editores, gatas, papelões, possível convidado e Turma q está a ver. Primeira vez aqui, mimimiiii... NINGUÉM SE IMPORTA Q É A MINHA PRIMEIRA VEZ AQUI NESSA PORRA! Precisará de um vídeo inteiro só pra essa história. Eu tenho 13 anos e eu sou bi🌈, faz a voz da Misty /Turma-Feira #56. Sou gaúcho, mas faz a voz dela com o sotaque gaúcho se quiser, pfvr NUNCA TE PEDI NADA. É fake. Eu inventei ela INTEIRA em literalmente em quase 2 FUCKING MINUTOS. Que imaginação fertil é essa a minha hein! Os detalhes foram detalhadamente pensados em UMA SEMANA! juro. Os nomes são fakes e só o meu obviamente é real. Já consigo te ouvir dissendo: -QUE HISTÓRIA GIGANTESCA, VÉI!
 Parte 1 
Tudo começou no famigerado ano passado de 2019, quando eu conheci na minha escola um guri novo na Turma (do 6°ano {1°ano dos anos finais do fundamental} para ser mais exato), o nome dele é Vitor José. No entanto, de um dia para o outro, nós dois viramos melhores A amigos e desde então, começamos a fazer praticamente TUDO juntos [aí aí, se eu soubesse o q tava por vir, bah né?]. Compartilhamos todos os nossos sentimentos, nossos ódios de tais alunos da nossa sala q viviam nos provocando e tals. A uns meses, numa Segunda-feira (agr no 7°ano de manhã em 2020), ele começou a me pedir dinheiro, pois ele me disse q a sua família estáva ficando desprovida de money. {1ª tradução: comecei a usar a uma plataforma chamada Binomo para conseguir ganhar dinheiro, não só pra eu comprar coisas q de fato eu vou precisar usar, mas tbm pra dar para pessoas q precisam por conta da situação de Caronavírus. Eu guardei um pouco do dinheiro q eu ganhei na Binomo pra isso.} Por conta disso, eu aceitei de boa na lagoa. Dei R$2.000,00 pra ele. Apartir daí, alguma coisa parecia q começava a ficar meio errada. Vai ficar bem mais pior!(te garanto Lubinha)
Comecei a ter uma amizade bastante forte com a irmã dele, o nome dela é Julia, e sem querer me gabar, mas ela é tipo vc LubaTv, linda para um k-rai. Até q do nada numa Seixta-Feira 13, ela me chamou no WhatsApp e ela disse: -Oi, Luis. Td b contigo? Tem como cê dar uma passada aqui em casa? Eu falei: -Sim, claro q sim! É por algum motivo em específico, ou é só para passar por aí meixmo? Seus pais estão em casa? Até q ela solta isso: -Nem o meu irmão e nem ninguém estam em casa e é sobre o meu irmão, ele anda meio estanho ultimamente. Mas dá pra vc vir aqui? Eu (obviamente) disse: -Sim! Vou ir aí agr meixmo, Julia! Ela disse: -Q ótimo, tô esperando por vc, mor<3 Nós dois ja tínhamos um leve romance invouvido, mas nós ainda não tínhamos nos beijado [nós dois éramos BV e BVL até aquele dia]. Pelo fato de q ela me disse q o Vitor tava estranho ultimamente, eu já achei isso meio esquisito, pois ele não tinha falado disso comigo ainda. Quando eu cheguei lá tava chovendo. Ela me disse q a os pais deles foram ao shopping e ela precisava ir junto se ela não quisesse e ela não foi. Ela falou: -Eu vi q antes deles saírem, eles foram ter uma conversa com ele no quarto dele e ela ouviu um diálogo. Vamos fazer assim, falas da mãe = M. Pai = P. Vitor = V. Júlia = J. Eu = L. (2ª tradução: isso foi na mesma semana em q eu dei os R$2.000,00 pra ele na Segunda-Feira no dia 9). O diálogo foi:
M- Então, ele tinha te dado SÓ 2000 REAIS?!
V- Sim! Infelizmente SÓ isso, mesmo!
P- Vc TEM q fazeobrigar ele a nos dar MAIS do q 'só uma mixaria' de R$2.000,00.
M- Esse guri vale É OURO!!!
P- O dinheiro q ele ganha com essa plataforma Binomo, É COM CERTEZA BEM BEM DO Q R$10.000,00 SE DUVIDAR!!!
M- VC ENTENDEU?!?!
V- Sim com certeza eu vou dar o meu melhor!!!
Ela me comprovou isso com um áudio que ela gravou e mandou pra minha prima, elas estudam na mesma Turma [7°ano tbm, mas na Turma de tarde].
Alí meixmo dps de agente conversar sobre isso tudo, ela se declarou para mim e me pediu em namoro. Eu asseitei e nos beijamos pela primeira vez em nossas vidas com muita felicidade. Quando os pais dela chegaram, ela pediu pra q eu me escondesse de baixo da cama dela, pq se eles me vissem, eles nos matariam pelo fato de q ela tinha trazido alguém pra casa deles e sem avisar (q agente tinha esquecido desse detalhe). Fiquei por pouco tempo alí. Eles entraram no quarto e conversaram um pouco com ela e saíram do quarto e fecharam a porta. Quando a poeira abaixou um pouco, eu saí de baixo, dei mais um beijo nela e sai pela janela da qual eu tinha entrado, pq não teria como eu passar pela sala da casa dela sem q os pais dela E o Vitor me vissem lá.
Quando eu cheguei em casa já parou de chover e eu fiquei do lado de fora no quintal q ficou brilhando por causa da luz do sol q ficou refletindo na água da chuva. Eu sentei numa mesinha q fica perto da nossa piscina de chão e eu fiquei pensando: - Obviamente eles estavam falando de mim, pq só eu dei dinheiro pra ele. Então, se for isso mesmo, eu vou ficar bem puto.
submitted by luis_henrique27 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.28 12:39 NayhAlmeida Sou babaca por não contar para minha família que estou a um ano morando fora do Brasil?

Olá galera, criei essa conta só para contar essa história. Desculpe os erros de português,estou muito nervosa e me sinto muito estranha contando isso.
Me chamo Nay, mas vou preservar minha família dessa exposição então não usarei os nomes deles. Nasci de uma gravidez indesejada, não convivo com meu pai e minha mãe me deixou com minha avó para viver com meu padrasto, pois na época ele exigiu que eu não existisse entre os dois, então eu morava com minha avó, meu avô, meu bisavô João e meu tio. Minha família é muito conservadora, é de interior de Minas e é muito fervorosa religiosamente, com isso eles sentiram muita raiva da minha mãe com isso tudo, na época meu tio tinha 15 anos e era o prodígio da família, pois iria ser padre, e meus avós faziam de tudo por ele até eu nascer e tomar toda essa atenção e cuidados, meu tio ficou muito irritado alguns primos falam que ele falava que eu estava dormindo quando pequena só para que as amigas da minha avó não fosse me visitar, o tempo passa eu já com 12 anos e meu tio foi "rejeitado" na escola dominical com decidiu fazer faculdade, mas meu bisavô decidiu em vez de ajudar ele nos custos e essas coisas, que teria prometido antes, ele me colocou em um Colégio particular bom da minha cidade, pagar cursos de pintura (que amo) e essas coisas, meu tio ficou com muita raiva de mim e quando todos não viam ele me batia e fazia com que tudo de errado da casa caísse sobre mim, exemplo quem quebrou isso? Deve ter sido a Nay, minha avó não gostava das minhas atitudes já que eu não ia a igreja com ela, detestava rezar o terço e isso piorava com o que meu tio fazia, meu bisavô morreu quando tinha 12 anos e então esse ano foi péssimo entrei em depressão, todos me acusavam de não dar valor o que meu bisavô fazia, por conta de não ir com ele na igreja, enfim repeti na escola por faltar, pois nem a aula queria ir emagreci, tentei coisas contra minha vida, mas minha avó achava isso frescura de adolescente querendo aparecer. Daí pra frente minha vida foi um inferno, comecei a trabalhar em um emprego de meio expediente depois das aulas, minha avó começou a exigir que eu pagasse contas da casa para ajudar, mas com tempo ela começou a exigir que eu pagasse a estadia, que se eu morasse ou estivesse em hotéis eu estaria pagando mais. Então eu pagava tudo com contas equivalentes que minha avo fazia, tipo conta 300 dividia por moradores e eu pagava minha parte.
Nota: ate meus 15 anos.
A mãe de uma amiga minha ficou mal com aquela situação que eu passava e perguntou se eu queria morar com ela em Belo Horizonte, juntei meu dinheiro e fui, minha família deu graças por não ter esse peso, meu tio na época morava sozinho com seu amigo no rio de janeiro já estava formado na faculdade e trabalhava lá.
Passada uma semana que estava em BH fiquei sabendo que a cidade toda estava de fofocas, principalmente nos eventos da igreja que minha avó ajudava, sobre minha família ter me "expulsado de casa", pois era assim que eles pensavam, fofoca ne, então minha avó começou a me ligar pedindo pra que voltasse que tudo iria mudar, mas eu já estava bem, trabalhava meio período, estudava e adorava ter paz quando chegasse em casa, minha avó começou a me chantagear falando que se eu não voltasse ela iria morrer e dramas dessa forma, que estava mal por não estar comigo. Então numa tentativa desesperada minha avó fingiu estar mal e pediu o médico que a internasse no hospital para fazer exames, já que ela estava muito mal, sim na minha cidade alguns médicos fazem TUDO que você pede se pagar. Então nessa hora meu tio me liga dizendo que se eu matasse minha avó ele iria ate no inferno me buscar, fez um escândalo com a mãe da minha amiga dizendo que eu fugi de casa, publicou isso em todas as redes sociais com minha foto, falando que eu era a pior pessoa do mundo pra minha família que minha avó estava doente por conta minha, detalhe que naquela época eu tinha no meu Facebook meu chefe e amigas de trabalho, então fui demitida em uma conversa estranha sobre eu ser uma pessoa melhor e voltar pra minha família, chorei muito e voltei. Quando cheguei minha avó estava em casa com a cara mais plena do mundo, falou que não sabia que meu tio fez aquilo, que ela não pediu isso e que ela nem estava tão mal assim, que não tinha culpa e eu voltei por quis, dai pra frente no natal e reuniões de família eu evitava meu tio, minha avó vê meu tio como o menino de ouro dela que nunca a decepcionou então para ela meu tio fez certo. Dai até os meus 18 anos trabalhei e estudei, pagava a minha moradia e não tinha amigos, pois para minha avó ninguém tem amigos e que amigo é só Deus, que todos me invejavam e essas coisas então minha avó arruinava minhas amizades falando e fazendo coisas e depois fingindo que não fez. Chamava minhas amigas de vagabundas quando eu não estava em casa para não me chamarem que eu não ia sair com aquele tipo de gente.
Então com 18 anos conheci meu ex ele morava em outra cidade no caso uma cidade universitária, ele estudava lá, mas ele nasceu na mesma cidade que eu então a gente se conheceu por isso, expliquei para ele como era minha família porque sei que não é fácil pensar isso deles já que são muito ligados a igreja e a família dele também, vou pular uma parte longa do começo do nosso namoro até ele descobrir os podres da minha avó pois não é o foco, enfim eu fui fazer faculdade na mesma cidade que ele, consegui auxilio alimentação da universidade e moradia então morava no campus e comia lá, era bem puxado pois fazia matemática e dividia quarto com mais 3 pessoas que nem conhecia, mas era necessário eu queria ter paz na vida, eu não entrei na faculdade por querer algo como me qualificar eu só queria sair de casa, minha família ficou orgulhosa por vários motivos, primeiro que meu ex era de "boa família", segundo que eu estava fazendo faculdade federal e então estava tudo ótimo para eles certo? Errado eles me cobravam constantemente pra terminar meu curso, quem é de exatas entende o quão tenso é você decorar 1 milhão de fórmulas e na hora da prova não saber qual é a primeira que irá usar e o branco vir, então no começo a adaptação é tensa, cobrava que eu casasse com meu ex no caso já estavamos com 2 anos de namoro e morávamos juntos nessa época, mas como disse eu e ele não ligavamos pra eles, eles me mandavam dinheiro através da conta do meu ex para que eu possa comer algo, era bem pouco mas ajudava sim não posso negar, pois comprava pão e leite, eu já ia para casa só nas férias e minha família continuava querer cobrar minha estadia quando ia, exemplo: você ficou 10 dias, então com a luz, água e x o valor fica xx, eu achava isso um absurdo, pois eu ia só para visitar minha família (obs.: minha mãe separou do meu padrasto e teve minha irmã com isso as duas foram morar com meus avós, então eu ia para ver ela) Mas com o tempo passei a ir só no natal e voltava antes do ano novo, então não dava tempo de se meterem na minha vida, o tempo passou e meu namoro já tinha virado mais amizade que amor, então decidimos separar, mas não falamos para minha família logo, ja que na visão da minha avó eu não consigo me virar sozinha sem meu ex, e nenhum homem será bom que nem ele, então mantivemos essa mentira por um tempo e quando contei minha família achou que seria uma fase e que a gente voltaria logo, sendo que já tínhamos superado e já tínhamos ficado com outras pessoas, passa o tempo e em 2019 decidi que iria viajar, queria a muito tempo, mas meu ex não programava falava sempre um dia e um dia, mas acabava que nunca chegava esse dia, então decidi mesmo que minha família brigue por viajar sozinha eu iria, tinha juntando dinheiro e queria viajar para fora do Brasil. Em outubro de 2019 eu conheci meu atual pelas redes socias, iria viajar no ano novo decidi que seria para Portugal e então comecei a olhar as coisas do país, onde ficar e com isso acabei falando com ele, ficamos íntimos muito rápido e na primeira semana falávamos de tudo um com outro, conversa vai e vem e eu decidi que iríamos nos ver assim que eu chegasse. Mas com o tempo essa paixonite ficou mais séria e eu e ele só pensavamos o que fazer quando eu voltasse pro Brasil e ficasse longe, porque pra mim uma viagem dessa seria de 5 em 5 anos, e ele é militar acaba que não tem tempo também para viajar, então decidimos com ele que eu iria ficar lá com ele (não foi assim do nada foi pensado e seria um teste se desse errado eu voltava), mas sim faltava 3 meses para isso, então eu arrumei as coisas, resolvi questões já que morava sozinha então tinha coisas a fazer e resolvi que faltando 1 semana pra ir eu iria para minha cidade falar com minha família sobre isso, pois não daria tempo deles tentarem arruinar esse meu desejo e eu queria que fosse algo leve que eu explicasse que eu teria dinheiro e se eu quisesse voltar eu voltava, mas quando cheguei em casa a minha avó mandou eu fazer comida, pois não tinha comida para mim lá e que eu podia fazer mas reclamou e reclamou que eu não estava com meu ex e falava pra eu dar orgulho para ela, eu travei e não consegui falar, enfim viajei, pedi conselhos ao meu ex, pois ele mais que nunca sabia como era isso tudo e ele disse que assim que eu arrumasse emprego em Portugal, mostrasse que estava aqui, explicava tudo e falava que estava bem e trabalhando e no caso até poderia mandar dinheiro pra ajudar eles (algo que eles iriam ficar "orgulhosos"). Mas o destino meus amigos, o coronga entrou em ação quase 1 mês depois que estava aqui e ficou impossível de conseguir emprego, minha avó começou a não gostar deu estar sozinha no Brasil e então comecei a mentir falando que estava com amigas e que estava bem, meu tio começou a jogar umas indiretas sobre eu não estar em casa já que eu não fazia mais vídeos chamadas com minha avó, e minha avó falava em voltar sempre com meu ex, eu não consegui falar, pensei que conseguiria ficar com visto de trabalho e que com isso eles não poderiam sei la fazer algo para que eu voltasse para o Brasil, fora que meus sogros já acham estranho essa história de se conhecer pela internet do meu namorado e eu, então pensava que meu tio poderia achar nas minhas redes sócias meu sogro e inventar coisas e piorar meu relacionamento com eles, eu sou extremamente feliz com meu namorado, não sinto o peso da família sobre isso, podemos fazer o que quiser, voltei com meus cachos coisa que minha família detestava e nunca deixava que eu voltasse, ele me apoia e sinto que foi a melhor coisa que fiz é ter dado essa chance pra nós dois. Minha avó detestou que voltasse que os meu cachos mas meu namorado me apoio muito nisso. Minha avó gravou um áudio chorando falando que estraguei meu cabelo que minha mãe e ela viram meu cabelo na foto de perfil do whats que a mesma daqui e que estou péssima devo estar louca terminei meu namoro e agora isso que só faço desgosto e coisas do tipo, respondi com: eu estou linda me amo assim lide com isso. Minha avó de vez em quando manda dinheiro pra mim como presente, ja disse que não preciso, pois vejo que assim ela acha que eu tenho obrigações com ela, mas ela mansa pois sabe minha conta do banco e sempre me convence fala do a compra uma blusinha pra você e talz foi fulana que mandou (no caso fala que o dinheiro é presente de primos, madrinhas meu avô). Em Dezembro desse ano ira fazer um ano que vou estar aqui, pensei que em novembro poderia falar com minha família que iria viajar em Dezembro e fingir que esse meu 1 ano não existiu já que quase não fiz nada aqui por conta do coronga e até lá eu iria tentar me regularizar no país, então não teria a possibilidade deles fazerem algo contra, ao mesmo tempo tenho vontade de falar que já estou aqui quando eles me ligam e tirar esse peso, mas sei que as consequências podem ser muito piores e já que eu aguentei ate agora eu aguento até dezembro. Minha avo me liga regulamente e não sabe do meu atual relacionamento fico mal, mesmo sabendo que se eu apresentar meu atual ela não ira gostar dele da mesma forma que meu ex, por conta dela exigir essa coisa de boa família, eu queria que ela visse o quanto ele me faz bem e como sou muito mais muito feliz com ele.
Eae gente sou babaca de não falar que estou aqui em Portugal para minha avó e família?
Ps.: é irrelevante, mas meu tio é gay, esse amigo dele é marido dele, ele "esconde" isso da minha família, eles tem casa juntos, compraram carro juntos, tem dois dogs juntos, mas contam para todos que são amigos,quando outros familiares falam que acham isso estranho minha avó e minha mãe, ameaçam todos falando que é difamação e que eles vão ter que provar judicialmente. Para minha família isso seria algo horrível, não gosto do meu tio acho ele falso e dissimulado, mas fico mal por minha avó não aceitar ele e mesmo eu sendo heterossexual tenho amigos gays, bi etc... e minha avó não aceita o fato de ter "colegas" (já que pra ela não tenho amigas) bi e lésbicas, pois vão pensar mal de mim e elas só querem me levar para esse caminho do mal.
submitted by NayhAlmeida to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 20:43 Wooden_Statistician3 Tudo que falo só piora e só queria que voltasse a ser como era antes

Desabafo. Há alguns meses casei, depois de menos de um ano de namoro. Apressado? Com certeza. Mas as circunstâncias meio que pediam. Ela veio de uma família extremamente quebrada e tóxica. Vivia sozinha há alguns anos, dependendo de auxílios de faculdade, parentes que só sabiam reclamar de estar ajudando, etc. Ela tem depressão profunda, e não tinha nem como se tratar.
Quando a conheci ela estava namorando, mas um namoro só de fachada, pois na verdade ele era abusivo e não deixava ela terminar, sob ameças contra a própria vida por parte, e à vida dela por partes de parentes dele. Durante boa parte da sua vida, a chamaram de feia, estranha, etc. Na faculdade as coisas mudaram, e começaram a enxergar a sua beleza, ficou com vários, mas sua auto-estima baixou tanto ao longo da vida que ela aceitou namorar com essa cara, sem nunca de fato querer, e acabou presa nesse relacionamento por mais de 2 anos.
Eu só tive uma namorada, há mais de 10 anos, e um crush forte até alguns anos atrás, o qual acabou em inimizade total. Sempre percebi que não era interessante pra nenhuma garota, na aparência, e nunca tive qualquer desenrolar pra "chegar". Depois de namorar, tomei gosto, e tentava. Porém do meu jeito tímido e, claro, ineficiente. Anos disso me fizeram perceber que não havia porque eu ficar insistindo em "achar alguém", se fosse acontecer seria no dia-a-dia normal, ou quando eu realmente me melhorasse como pessoa. Foquei então na minha educação e no profissional.
Um dia ela, ainda em namoro abusivo, falou comigo pelo Whatsapp, tarde da noite. O meu racional dizia pra eu ir dormir, pois a pessoa responsável e profissional dorme cedo e acordar cedo (ou assim deveria, pelo que dizem). Mas algo me fez querer falar com ela, mesmo que ainda de forma um tanto fria, admito. Papo vai, papo vem. Como parecia ser só uma amizade, eu falei abertamente com ela, inclusive quando ela perguntou de relacionamentos/crushes passados.
Semanas depois, ela termina o namoro e diz que gosta de mim. Pela primeira vez em muitos anos volto a sentir aquilo que senti no primeiro namoro. E ficamos, e namoramos, e tudo foi muito intenso. E então casamos, para que ela pudesse ter acesso ao meu plano de saúde como dependente e tratar, principalmente, da depressão, pois várias noites a vi chorar pelo seu passado que ainda atormenta o seu presente: ela não consegue nem mais estudar e boa parte das tarefas domésticas ficam pra mim. Mas havia tudo pra melhorar, não havia? Infelizmente, tudo mudou um dia.
Ela acordou e disse que sonhou que eu falava que eu achava aquele meu crush forte (Fulana) de alguns anos antes mais bonita que ela. Depois de algumas horas, como se perguntasse algo banal, ela perguntou se achava mesmo. O problema: eu considero a Fulana bonita, mesmo nível, mas o sentimento que existe é pela minha esposa e, obviamente, ela me é "a mais bonita". Mas ela não aceitava esse tipo de resposta, ela queria que eu respondesse de forma crua. Eu, que sempre procuro ser honesto, correspondi. Como considero as duas de mesmo nível, foi difícil. Conseguia lembrar de momentos onde uma estava mais bonita que outra, mas não chegava a "vencer". Uma certeza eu tinha, e continuo tendo, minha esposa tem a maior capacidade, ou seja, consegue ser a mais bonita. Mas ainda assim minha resposta não foi suficiente: ela dizia que eu estava enrolando, com medo de dizer a verdade. Não entendi do que deveria ter medo afinal, pra mim, a resposta mais direta e crua não fazia a menor diferença nos meus sentimentos para com ela. E, se eu estivesse raciocinando direito eu teria percebido a armadilha bem ali na minha frente, mas eu caí nela quando ela novamente exigiu a resposta direta e crua: ou ela ou a Fulana. E eu falei a Fulana.
E, de repente, ela começou a me atacar. Dizendo que eu acho a Fulana "linda e maravilhosa" e ela feia (quando pra mim ambas tão no mesmo nível, e pra mim ela vai ser sempre a mais bonita, pois é ela que eu amo). Que meu sonho era que tivesse dado certo com a Fulana, mas que ela foi o que deu (quando ela, e somente ela, que conseguiu reacender meus sentimentos, mesmo quando tudo dizia que não valia a pena sonhar com isso (afinal ela tinha namorado, etc.). Eu tentava explicar meus sentimentos, mas nada adiantava. A frustração, a angústia tomou conta e então, a raiva. Raiva de como algo que estava morto no passado, voltou pra me assombrar. Raiva de que algo completamente irrelevante no meu presente, e portanto nosso presente, estava ali, destruindo nosso casamento. Pois ela começou a querer ir embora, anular casamento, se separar. E na tentativa de melhorar as coisas, eu sempre piorava. Acabei falando palavras (que pra mim não teria tanto significância se ela dissesse), mas infelizmente pra ela tinha: disse que ela estava sendo "idiota" por insistir tanto nas afirmações desses ataques e desconsiderar completamente o que eu sinto e falava. Só estava tendo "amenizar" a situação, segundo ela. E que no fundo, eu queria alguém """melhor""" que ela.
Isso foi uma tarde. Ela eventualmente parou quando percebeu o quão mal eu estava. E claro que eu estava. A pessoa que eu amo e por quem eu faço tudo, praticamente "inventou" um motivo pra me atacar. E daí que numa análise crua e racional, naquele ponto específico da história, a Fulana havia "vencido" no concurso de beleza entre as duas. Grande bosta. Minha esposa continuava sendo bonita, e pra mim e meu amor, a mais bela. Era ela que realmente havia gostado de mim, era ela que quis casar comigo, era ela que me acompanhava nos filmes de sábado à noite, era ela com eu me via vivendo pra sempre do lado. E de repente, parecia que nada mais disso iria se tornar realidade e por quê? Por algo que nem ao menos mudava o que eu sentia em relação a ela e nunca iria.
Durante o final da noite, eu tentei dormir, mas não conseguia. Tentei assistir vídeos de "como lidar com a pessoa amada em depressão". E ela começou a chorar do meu lado, muito. Larguei o vídeo, abracei-a. E ali as gentes se aceitou novamente. Ou assim parecia, porque poucos minutos depois, ela pergunta, inocentemente, se eu acho minha irmã mais bonita que ela. E o fato é, se eu dissesse que não seria uma bela duma mentira, e mesmo que eu achasse, ela diria que eu estava falando aquilo só pra agradar. E eu, O idiota, achando que estava tudo bem de novo, respondi que sim. E novamente ela começou a me atacar. E POR CAUSA DA MINHA IRMÃ!?
Atualmente eu me considero forte pra aguentar essas coisas, mas não dava mais. Ela quebrou minhas defesas com esses ataques. E tudo que ela me falava soava como "EU TE ODEIO". E eu aceitei esse ódio dela, pois, afinal, ela devia estar certa. Eu sou uma pessoa com 30 anos, aparência ok, mas que não tem amigos e só teve uma namorada antes dela. É óbvio que tinha algum problema, o problema de que eu era detestável. Eu sempre tentei demais ser prestativo e tudo mais, mas quando o assunto são sentimentos eu nunca consegui transmitir isso. Abraço minha mãe quatro vezes ao no: aniversário dela, o meu, dia das mães e natal. Sempre um abraço bem "desengonçado". Eu noto isso, mas sempre foi assim, e eu não sei mudar. Eu sei o que eu sinto, mas minha demonstração é e sempre vai ser insuficiente. E por isso todos ou acabam por me detestar ou se afastar de mim. Mas eu realmente pensei que com ela seria diferente.
Alguns dias se passaram e as coisas até foram melhorando. Até que cai tudo de novo. Ela conta pra uma pessoa, que mal conhece, que eu achava que ela na praia não ficava tão bem quando dentro de casa. Sim, eu havia falado algo do tipo, quando no começo da discussão ela pedia pra eu ser mais direto. Oras, ela tem umas manchas, gordurinhas a mais, etc. do que a fulana. Eu me sinto menos bonito do que um cara que não é assim, mas nem por isso me acho feio, ou ache vou sempre ser inferior. É só eu cuidar disso. E se não cuido, é porque tenho outras prioridades. Da mesma forma com ela. Não acho ela feia, nem menos bonita, só relatei o óbvio. E se ela não quiser cuidar, ou não conseguir cuidar, não é problema pra mim. Eu casei com ela pelo pacote completo. E assim como eu, ela também vai com o tempo perder pontos na aparência. E assim como eu, espero que ela ainda me ame, ainda me ache bonito, com eu continuarei amando ela e achando bonita. Mas não importa eu falar isso. Pois ela quer sempre dizer que tudo isso que eu falo é balela, enrolação, agrados, etc.
Pelo meu jeito detestável de demonstrar sentimento ela perdeu totalmente a confiança nos meu sentimentos, a ponto de nada o que eu falo valer mais. Ou talvez, no fundo, ela espera que eu seja pra sempre tão bonito quando ela acha atualmente, e quando eu não foi mais, ela vai me trocar por alguém que envelheça melhor. Mas se eu falo isso pra ela, ela bate o pé pra dizer que pra ela é completamente diferente, que o sentimento dela é real, mas que o meu? O meu é de mentira, porque assim ela decidiu. E ela ainda diz que eu mereço alguém ""melhor"". Mas o fato é, que ela se estiver certa, o que eu mereço é desaparecer. Pois o meu eu que ela odeia, é o único eu que existe. E se ela não é capaz de amar esse meu eu, e insiste em brigar, está mais que na hora de ela admitir o que está bem na frente dela: ela não me ama. Não mais. Só espero que não tenha sido nunca. Porque pior que ver tudo se destruindo e não poder fazer nada, pois nada do que eu falo impede, pelo contrário, piora, e ficar calado não é opção, então que pelo menos não tenha sido tudo uma mentira.
E hoje ela do nada veio falar que tá com medo de engordar, pois, segundo ela, eu falei que iria querer outra se assim acontecesse. Eu nunca falei isso, assim como nunca falei outras coisas com as quais ela vem me atacando. Mas o pouco que eu digo, se transforma num muito na cabeça dela. Eu não aguento mais. Eu peço pra ela parar, mas ela insiste em, nas palavras delas, "me colocar contra a parede pra botar as verdades pra fora". Mas do que adianta isso, quando ela já decidiu o que é verdade e o que é mentira? Nada, e por isso eu só queria que ela parasse. Que não pelo amor que ela supostamente sente por mim, mas pelo menos em consideração a tudo que eu fiz por ela.
Pois agora eu já não sinto nada. Um nada que não me permite nem ao menos dizer o que sinto por ela. Mas enquanto eu quero acreditar que ainda amo ela, ela insiste. Eu novamente pedi pra ela parar, e afirmei que não sei mais se gosto dela, mas que se ela realmente me ama, ela tinha que parar, e me deixar sentir novamente. Mas meu medo é que ela continue (ela está passeando com uma amiga nesse momento), pois se ela continuar o pior vai acontecer. O amor vai virar ódio. A vida vai virar morte. Figurativamente (apesar de temer, e muito, que aconteça literalmente para ela).
submitted by Wooden_Statistician3 to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 19:49 LeonorUwU (Repost porque flopou) O DIA EM QUE O MEU EX PSICOPATA INVENTOU BOATOS SOBRE MIM PORQUE NÃO SUPEROU O TÉRMINO :')

Olá Luba, editor, falecidos bonecos de papelão, gatas e público que está a ver :D então hoje eu vou contar a história de um dos meus piores relacionamentos passados( tem treta, violência, boatos falsos e muito mais) ps: Luba eu sou de Portugal estou tentado adaptar a minha história para português do Brasil :).... Então tudo começou quando eu estava por volta dos meus 10/11 anos. Na época eu tinha decidido entrar no grupo de escuteiros da minha cidade, pois parecia muito legal e tinha alguns amigos lá e tals. Quando eu comecei a frequentar o grupo, eu conheci um garoto (vamos chamar ele de karls), e imediatamente fiquei amiga dele pois ele era muito simpático e era amigo dos meus outros amigos. Algumas semanas se passaram, e o nosso grupo de escuteiros participou numa procissão. A gente estava lá e tals, e teve uma hora que a gente parou. Nessa hora eu e os meus amigos incluindo o karls, fizemos uma rodinha e começamos a jogar joguinho e de criança (que na época era verdade ou desafio) então do nada os meus amigos começaram a falar que tinha um garoto do grupo que estava gostando de mim. Eu fiquei muito curiosa e confusa ao mesmo tempo pois eu apenas frequentava o grupo fazia poucas semanas. Daí eles me falaram que o garoto que estava afim de mim era o karls. Eu pensei para mim mesma (OK tudo bem, mas eu não sinto nada por ele, apenas somos amigos e nada mais). Então a gente retornou para a procissão e os meus amigos não paravam de falar que eu tinha que ficar com ele porque ele gostava muito de mim e eu não poderia recusar. Então alguns dias depois ele me pediu em namoro, mesmo a gente não se conhecendo muito bem, eu aceitei devido às obrigações que meus amigos me impuseram. (eu era uma criança muito burrinha :/). A gente começou a namorar e todos os dias ele ia me procurar na escola, e ficava perguntando para todo o mundo onde eu estava pois ele precisava de estar comigo toda a hora(comportamento de garoto meio obesecado) No inicio eu não vi nada de errado pois achava que era coisa de namorado, mas então alguns dias depois o nosso grupo de escuteiros fez um acampamento, que foi muito legal inclusive, mas os meus amigos ficavam toda a hora falando coisas do género (AH SE BEIJEM! DÊM AS MÃOS) eu estava ficando meio cansada disso. No último dia do acampamento a gente voltou para casa de ônibus, eu sentei do lado dele por pura obrigação. Então eu tentei conversar com ele para melhorar um pouco o clima. Eu decidi perguntar quais eram os seus maiores sonhos, e ele respondeu (MEUS MAIORES SONHOS SÃO ME CASAR COM VOCÊ E TER FILHOS COM VOCÊ!) após ele falar isso eu tive a certeza de que o karls estava obesecado por mim, e não era normal falar esse tipo de coisa para uma pessoa que você conhece FAZ NEM UM MÊS. Eu decidi por mim mesma que não queria continuar com aquilo, pois não era saudável, ele parecia um stalker psicopata, que ficava me seguindo para todo o lado e não deixava eu falar com outros garotos. Após algumas semanas eu tomei coragem e terminei com ele... Não fui capaz de dizer a ele diretamente, por isso pedi à minha amiga para falar para ele que eu queria terminar (O QUE FOI UM GRANDE ERRO). Algumas horas depois, umas meninas da sala dele me chamaram no banheiro para conversar , e feita burra eu fui, quando cheguei na zona em que a turma do karls tinha aula (a gente estava separado por turma) um amigo dele ME EMPURROU COM TODA A FORÇA CONTRA UM CACIFO ESCOLAR, e o impacto fez com que eu quase QUEBRASSE MEU BRAÇO. Logo após ele ter me agredifo ele falou (PORQUÊ VOCÊ TERMINOU COM ELE SUA IDIOTA!? VOCÊ ERA MUITO IMPORTANTE PARA ELE E NÃO TINHA O DIREITO DE TERMINAR COM ELE >:(...) eu fiquei muito assustada e entrei a correr para dentro do banheiro femenino para falar com as tais meninas da sala dele. Quando eu entrei ELAS ME RODEARAM (que nem um interrogatório de criminoso) E ME OBRIGARAM A FALAR O PORQUÊ DE EU TER TERMINADO COM O MENINO. Eu imediatamente comecei a chorar, e expliquei para elas tudo o que karls fazia, e ele parecia meio psicopata. Elas me compreenderam e me deixaram ir. Depois disso eu fui para a minha aula e me falaram que Carls passou a sua aula inteira chorando e que a culpa disso tudo era minha E QUE EU ERA HORRÍVEL. Depois da aula me chamaram denovo mas dessa vez tinha sido um amigo do karls, e ele falou para eu ir o mais rápido possível pois as coisas estavam tensas. quando eu cheguei na turma dele, ESTAVA TODO O MUNDO REVOLTADO COMIGO, PORQUE O IDIOTA DO KARLS REVOLTOU TODA A SUA TURMA CONTRA MIM, eu estava assustada com todos aqueles olhares ameaçadores, e perguntei o que estava acontecendo e o porquê de todos estarem me olhando daquele jeito. Em seguida uma menina me falou que o Karls tinha espalhado o boato de que EU TINHA DEIXADO ELE POIS EU ESTAVA APAIXONADA POR OUTRO MENINO DE OUTRA SALA( o que era totalmente mentira) E TODOS ME FICARAM ENCARANDO COMO SE EU FOSSE UMA FALSA VAGABUNDA. Eu tentei falar para todos eles que era mentira e que o Karls era demasiado apegado a mim e que eu não me sentia confortável com aquele relacionamento "abusivo" e falei que estava namorando ele por PURA OBRIGAÇÃO, e nunca falei que estava 'apaixonada' por ele. Na hora ninguém acreditou, pois ele tinha espalhado aquele boato de uma maneira que me fez passar PELA MÁ DA HISTÓRIA. Semanas se passaram e eu cortei o contacto com as pessoas daquela turma. Tinha algumas pessoas lá (mais ou menos 3) que ficavam me falando que o Karls chorava em TODAS as aulas e os professores estavam ficando fartos do seu choro irritante. Meses se passaram e as coisas acalmaram. As pessoas da turma dele deixaram de me olhar como má da história, e começaram a perceber que aqueles boatos eram mentira, e que eu estava sendo obrigada a estar com ele. ANOS SE PASSARAM, e eu tentava recuperar a minha amizade com ele, porque eu sei que embora ele tivesse aquele lado meio psicopata, ele até era um garoto legal. Eu e Karls meio que recuperamos a nossa amizade, mas ele me propôs vários pedidos de namoro denovo.... E teve um em específico em que ele falou que se eu não aceitasse, ELE NUNCA SERIA FELIZ E QUE PODERIA TIRAR A PRÓPRIA VIDA..... e tudo isso quando a gente era criança. Os anos se passaram e a gente continuava falando mas eu tentava não lhe dar expectativas para ele conseguir perceber que eu não queria nada com ele. Enfim essa foi a minha estória.... Foi meio nhe, mas espero que tenha entretido vocês(PS: eu e Karl's hoje somos grandes amigos, ele percebeu que em criança era meio louco e me pediu desculpas, provavelmente ele vai estar vendo esse vídeo... 'Karls' não me odeie kk) :D beijos <3
submitted by LeonorUwU to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 03:33 estrelinha12906 O mundo dá voltas inesperadas.


Olá turma que encontrou este post. Que milagre! :D
Minha vida nunca foi fácil:era usada por troca de promessas falsas, meu pai não tinha tempo para a família, minha mãe tinha stress com o trabalho e a casa e sobrecarregava tudo em nós, minha irmã quase todos os dias ameaçava-me de não viver com uma faca, meus avós sempre falavam que minha mãe era muito mais feliz antes de nos ter e minha melhor amiga era abusada por um """amigo""" que acho não falar mais com ela. Tinha 12-13 anos na época e ""tinha depressão"" (nunca foi especificado por especialista).
O Marls que foi para a minha turma falou que queria ser meu melhor amigo eu falei que o queria por perto em quase todos os intervalos e ele PROMETEU ficar do meu meu lado custo que custá-se apesar de deixar claro que queria tempo com os amigos. eu aceitei.(que burra)
Dias se passaram e como qualquer turma foi acusar de namoro.
Não tardou muito tempo ele sabia que eu não estava bem e eu me senti obrigada a falar que tinha """depressão""" ele falou que me iria apoiar para eu conseguir superar.
Iludida pensei que tudo iria melhorar foi só ladeira a baixo.
Ele cancelava todos os nossos planos, ignorava mensagens e me ignorava pessoalmente ( parecia um fantasma) e pior a minha turma não parou! Falavam sobre pau pequeno, namoro e essas bostas. No final tive problemas de ansiedade que me não consegui recuperar até hoje. ( e o principal motivo da minha turma ter parado de falar é que a briga estava tão feia que só nós dois não víamos que tava tóxico.)
Nos afastamos e só no meu aniversário (20/04) que ele falou comigo de novo durante esse tempo eu achava que era a pior pessoa do mundo porque se ele não queria falar comigo algo de muito errado eu tinha feito! Minha ""depressão"" piorou e só melhorou quando Garls (um dos amigos do Marls que também passava a vida a ignorar-me) e minha melhor amiga me deram uma ajuda. Durante esse tempo ele me enviava videos de ele a se divertir com os amigos.
Dias após ao meu niver ele falou que tinha saudades e que não queria que me perde-se (se por algum milagre alguém quiser ver os prints farei numa parte só para nice-guys) eu ignorei . Passado um tempo eu perguntei ao Garls se valeria a pena voltar a falar com ele. Ele me falou que o Marls não estava bem e queria pelo menos que o perdoa-se.
Eu preocupada e pensando o pior perdoei-o.
Ele tentava puxar assunto todo o dia e eu tentei planear coisas que fazíamos antes, mas não tinha jeito ele não só cancelava como também puxavam saco de coisas que ele gostava que deu para entender que eu não era muito afim.
Com isso comecei a desesperar e não sabia o que falar com medo de falar bosta.( não falar nada foi pior ainda).
Até que ele mandou uma mensagem a falar que não queria a ser mais mais meu melhor amigo e que ele estava magoado. Quando eu percebi que estava a fazer com ele o que ele fazia comigo com isso senti-me na merda.
Atualmente conheci dois streamers que me fazem sorrir quando não há vídeos do Luba. Não achei que sorriria tanto depois de tudo, apesar de me sentir mal quando lembro da história.
E para quem teve paciência de ler até aqui parabéns por ter aguentado o mimimi de uma pessoa aletória a falar na net.
Obrigado ^^
submitted by estrelinha12906 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.14 22:57 slabruh Please, Lubisco e turma (ou chat), me ajudem!

Olá, venho aqui para pedir a ajuda de vcs para saber oq fazer, essa comunidade me é muito querida e a opinião de vcs realmente conta mto para mim. Bom, primeiro lhes contarei a história, obviamente não revelando nomes a fim de n me expor, e tbm n expor a ngm. Recentemente, passei pelo fim de um namoro, um namoro que posso dizer que foi longo, e que também teve seus altos e baixos, onde ambos vacilaram. Após o término, que foi razoavelmente "tranquilo", pois foi uma decisão tomada em uma conversa onde não houve brigas, continuamos conversando e nos ajudando em nossos problemas pessoais mesmo após o fim. Ocorre que, enquanto namoravamos, tinhamos uma amiga em comum, na verdade, uma melhor amiga em comum, a qual, ainda temos. Acabou que, entre eu, e essa melhor amiga, começou a rolar um clima nas últimas semanas. Então minha dúvida é, o que eu faço? Sei que continuar com isso, magoaria muito a minha ex namorada, e isso é algo que não quero fazer, ao mesmo tempo, não foi minha decisão começar a gostar da nossa melhor amiga, afinal, sentimentos são coisas que não controlamos, e me privar deles vem me doendo e machucando. Oq vcs fariam se estivessem no meu lugar? (Luba, caso leia isso, saiba que te admiro muito e que seus vídeos me ajudam muito em meus piores momentos, beijos, menor que treix)
submitted by slabruh to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.13 23:43 LeonorUwU A época em que meu ex psicopata revoltou todos os meus amigos contra mim 😗

Olá Luba, editor, falecidos bonecos de papelão, gatas e público que está a ver :D então hoje eu vou contar a história de um dos meus piores relacionamentos passados( tem treta, violência, boatos falsos e muito mais) ps: Luba eu sou de Portugal estou tentado adaptar a minha história para português do Brasil :).... Então tudo começou quando eu estava por volta dos meus 10/11 anos. Na época eu tinha decidido entrar no grupo de escuteiros da minha cidade, pois parecia muito legal e tinha alguns amigos lá e tals. Quando eu comecei a frequentar o grupo, eu conheci um garoto (vamos chamar ele de karls), e imediatamente fiquei amiga dele pois ele era muito simpático e era amigo dos meus outros amigos. Algumas semanas se passaram, e o nosso grupo de escuteiros participou numa procissão. A gente estava lá e tals, e teve uma hora que a gente parou. Nessa hora eu e os meus amigos incluindo o karls, fizemos uma rodinha e começamos a jogar joguinho e de criança (que na época era verdade ou desafio) então do nada os meus amigos começaram a falar que tinha um garoto do grupo que estava gostando de mim. Eu fiquei muito curiosa e confusa ao mesmo tempo pois eu apenas frequentava o grupo fazia poucas semanas. Daí eles me falaram que o garoto que estava afim de mim era o karls. Eu pensei para mim mesma (OK tudo bem, mas eu não sinto nada por ele, apenas somos amigos e nada mais). Então a gente retornou para a procissão e os meus amigos não paravam de falar que eu tinha que ficar com ele porque ele gostava muito de mim e eu não poderia recusar. Então alguns dias depois ele me pediu em namoro, mesmo a gente não se conhecendo muito bem, eu aceitei devido às obrigações que meus amigos me impuseram. (eu era uma criança muito burrinha :/). A gente começou a namorar e todos os dias ele ia me procurar na escola, e ficava perguntando para todo o mundo onde eu estava pois ele precisava de estar comigo toda a hora(comportamento de garoto meio obesecado) No inicio eu não vi nada de errado pois achava que era coisa de namorado, mas então alguns dias depois o nosso grupo de escuteiros fez um acampamento, que foi muito legal inclusive, mas os meus amigos ficavam toda a hora falando coisas do género (AH SE BEIJEM! DÊM AS MÃOS) eu estava ficando meio cansada disso. No último dia do acampamento a gente voltou para casa de ônibus, eu sentei do lado dele por pura obrigação. Então eu tentei conversar com ele para melhorar um pouco o clima. Eu decidi perguntar quais eram os seus maiores sonhos, e ele respondeu (MEUS MAIORES SONHOS SÃO ME CASAR COM VOCÊ E TER FILHOS COM VOCÊ!) após ele falar isso eu tive a certeza de que o karls estava obesecado por mim, e não era normal falar esse tipo de coisa para uma pessoa que você conhece FAZ NEM UM MÊS. Eu decidi por mim mesma que não queria continuar com aquilo, pois não era saudável, ele parecia um stalker psicopata, que ficava me seguindo para todo o lado e não deixava eu falar com outros garotos. Após algumas semanas eu tomei coragem e terminei com ele... Não fui capaz de dizer a ele diretamente, por isso pedi à minha amiga para falar para ele que eu queria terminar (O QUE FOI UM GRANDE ERRO). Algumas horas depois, umas meninas da sala dele me chamaram no banheiro para conversar , e feita burra eu fui, quando cheguei na zona em que a turma do karls tinha aula (a gente estava separado por turma) um amigo dele ME EMPURROU COM TODA A FORÇA CONTRA UM CACIFO ESCOLAR, e o impacto fez com que eu quase QUEBRASSE MEU BRAÇO. Logo após ele ter me agredifo ele falou (PORQUÊ VOCÊ TERMINOU COM ELE SUA IDIOTA!? VOCÊ ERA MUITO IMPORTANTE PARA ELE E NÃO TINHA O DIREITO DE TERMINAR COM ELE >:(...) eu fiquei muito assustada e entrei a correr para dentro do banheiro femenino para falar com as tais meninas da sala dele. Quando eu entrei ELAS ME RODEARAM (que nem um interrogatório de criminoso) E ME OBRIGARAM A FALAR O PORQUÊ DE EU TER TERMINADO COM O MENINO. Eu imediatamente comecei a chorar, e expliquei para elas tudo o que karls fazia, e ele parecia meio psicopata. Elas me compreenderam e me deixaram ir. Depois disso eu fui para a minha aula e me falaram que Carls passou a sua aula inteira chorando e que a culpa disso tudo era minha E QUE EU ERA HORRÍVEL. Depois da aula me chamaram denovo mas dessa vez tinha sido um amigo do karls, e ele falou para eu ir o mais rápido possível pois as coisas estavam tensas. quando eu cheguei na turma dele, ESTAVA TODO O MUNDO REVOLTADO COMIGO, PORQUE O IDIOTA DO KARLS REVOLTOU TODA A SUA TURMA CONTRA MIM, eu estava assustada com todos aqueles olhares ameaçadores, e perguntei o que estava acontecendo e o porquê de todos estarem me olhando daquele jeito. Em seguida uma menina me falou que o Karls tinha espalhado o boato de que EU TINHA DEIXADO ELE POIS EU ESTAVA APAIXONADA POR OUTRO MENINO DE OUTRA SALA( o que era totalmente mentira) E TODOS ME FICARAM ENCARANDO COMO SE EU FOSSE UMA FALSA VAGABUNDA. Eu tentei falar para todos eles que era mentira e que o Karls era demasiado apegado a mim e que eu não me sentia confortável com aquele relacionamento "abusivo" e falei que estava namorando ele por PURA OBRIGAÇÃO, e nunca falei que estava 'apaixonada' por ele. Na hora ninguém acreditou, pois ele tinha espalhado aquele boato de uma maneira que me fez passar PELA MÁ DA HISTÓRIA. Semanas se passaram e eu cortei o contacto com as pessoas daquela turma. Tinha algumas pessoas lá (mais ou menos 3) que ficavam me falando que o Karls chorava em TODAS as aulas e os professores estavam ficando fartos do seu choro irritante. Meses se passaram e as coisas acalmaram. As pessoas da turma dele deixaram de me olhar como má da história, e começaram a perceber que aqueles boatos eram mentira, e que eu estava sendo obrigada a estar com ele. ANOS SE PASSARAM, e eu tentava recuperar a minha amizade com ele, porque eu sei que embora ele tivesse aquele lado meio psicopata, ele até era um garoto legal. Eu e Karls meio que recuperamos a nossa amizade, mas ele me propôs vários pedidos de namoro denovo.... E teve um em específico em que ele falou que se eu não aceitasse, ELE NUNCA SERIA FELIZ E QUE PODERIA TIRAR A PRÓPRIA VIDA..... e tudo isso quando a gente era criança. Os anos se passaram e a gente continuava falando mas eu tentava não lhe dar expectativas para ele conseguir perceber que eu não queria nada com ele. Enfim essa foi a minha estória.... Foi meio nhe, mas espero que tenha entretido vocês(PS: eu e Karl's hoje somos grandes amigos, ele percebeu que em criança era meio louco e me pediu desculpas, provavelmente ele vai estar vendo esse vídeo... 'Karls' não me odeie kk) :D beijos <3
submitted by LeonorUwU to TurmaFeira [link] [comments]


PIORES PEDIDOS DE CASAMENTO DA HISTÓRIA - YouTube OS PIORES TÉRMINOS DE NAMORO DO WHATSAPP  Jean Luca - YouTube 5 Piores Términos de Namoro OS PIORES PEDIDO DE NAMORO  iBugou Pedidos De NAMORO que deram RUIM num NÍVEL GIROTESCO - YouTube TÉRMINO DE NAMORO  PARAFERNALHA - YouTube Os pedidos de namoro 💍💑💝💕mais top 😍😍 - YouTube OS PIORES PEDIDOS DE NAMORO E CASAMENTO (Dia dos Namorados) PIORES FORMAS DE PEDIR EM NAMORO  PARAFERNALHA - YouTube

20 histórias de traição que vão fazer você dar graças a ...

  1. PIORES PEDIDOS DE CASAMENTO DA HISTÓRIA - YouTube
  2. OS PIORES TÉRMINOS DE NAMORO DO WHATSAPP Jean Luca - YouTube
  3. 5 Piores Términos de Namoro
  4. OS PIORES PEDIDO DE NAMORO iBugou
  5. Pedidos De NAMORO que deram RUIM num NÍVEL GIROTESCO - YouTube
  6. TÉRMINO DE NAMORO PARAFERNALHA - YouTube
  7. Os pedidos de namoro 💍💑💝💕mais top 😍😍 - YouTube
  8. OS PIORES PEDIDOS DE NAMORO E CASAMENTO (Dia dos Namorados)
  9. PIORES FORMAS DE PEDIR EM NAMORO PARAFERNALHA - YouTube

OS PIORES PEDIDOS DE NAMORO E CASAMENTO (Dia dos Namorados) ... mande os vídeos para os AMIGOS! \o/ Category ... FASHION SHOW DE PÁSCOA ... No vídeo de hoje, trazemos as piores formas de se pedir em namoro. Portanto, é pra ver e não fazer desse jeito, tá? Forte abraço! INSCREVA-SE: http://tinyurl... Essa é uma lista de vídeos com as piores formas para reatar um namoro. INSCREVA-SE: http://tinyurl.com/c6fm4ok Facebook: http://www.facebook.com/parafernalha... 50+ videos Play all Mix - OS PIORES PEDIDO DE NAMORO iBugou YouTube; TROLLEI A DANI COM UM PEDIDO DE NAMORO! - Duration: 13:59. Lucas Rangel 1,919,831 views. 13:59. AFONSO ... ai... kk doeu AQUI no meu kokoro Como Meu Namorado Me Traiu Por Um Ano Inteiro: https://youtu.be/pHwEXKz3fH8 @morimura @morimurando Nesse vídeo vou mostrar os 5 piores (constrangedores) términos de namoro. Redes sociais : Twitter: Beh Rossini Instagram: Beh.Rossini Espero que gostem do vídeo deixe seu gostei se inscreva ... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Muito barraco, confusão e gritaria no whatsapp. Chegou a hora de ver os piores términos de namoro que rolaram no app e tirar uma lição de como NÃO terminar s... Pedidos de casamento são uma das tradições mais simples da humanidade, então claro que sempre vai ter alguém querendo fazê-los de forma mais criativa. Neste ...